Montblanc une passado e futuro em nova coleção no mercado de luxo

Passado e futuro se unem na nova coleção UltraBlack da Montblanc. Falamos com o vice-presidente de marketing, Vincent Montalescot
 (Divulgação/Divulgação)
(Divulgação/Divulgação)
J
Julia StorchPublicado em 31/10/2021 às 07:56.

Desde muito antes de Hubert de Givenchy criar o vestido pretinho básico para o filme Bonequinha de Luxo, de 1961, a cor é referência de elegância no mercado de luxo. Agora é a alemã Montblanc que usa o preto para dar unidade à linha Ultra­Black, lançada em setembro. Sob o lema What Moves You, Makes You, a coleção faz homenagem ao passado da grife e simboliza a inspiração para seguir novos caminhos.

As peças vão desde clutches, mochilas, um relógio 1858 Geosphere e uma caneta StarWalker até gadgets como o smartwatch Summit, o Augmented Paper e os headphones MB 01. De Berlim, falamos com Vincent Montalescot, vice-presidente de marketing da Montblanc.

O que a cor preta diz sobre a nova coleção e sobre a Montblanc?

Nós passamos muito tempo revendo os arquivos. O preto foi a primeira cor utilizada pela marca. O branco e o vermelho coral também foram as cores principais da Montblanc em 1906. O preto, para a marca, é uma combinação de estilo e sofisticação.

O logotipo também ganhou destaque nesta coleção.

São muitos elementos de ­design que procuramos nos arquivos e que estão presentes na coleção. O emblema, criado em 1913, é especial para nós. Foi a primeira vez que o deixamos com destaque.

Como o tema What Moves You, Makes You se relaciona com os produtos Montblanc?

Se você quer seguir em frente, é preciso ir atrás de suas paixões, em vez de manter regras antigas. É a forma de você deixar sua marca. Não sei se sou sortudo, mas estive pela manhã em Milão, estou em Berlim agora e irei para Paris amanhã. Todas as coleções que criamos se relacionam ao que precisamos aproveitar no dia a dia. Quando viajo, levo minha bolsa, meu notebook e meu relógio, e todos esses elementos precisam me inspirar e me lembrar do que preciso conquistar.

O que podemos esperar com a entrada de Marco Tomasetta como novo diretor criativo da marca?

O que foi incrível para mim foi a primeira frase que ele disse, a mesma que eu falei quando cheguei na Montblanc, quatro anos atrás: “Me dê acesso aos arquivos”. Ele vem do mundo da moda, e nós não somos uma marca de moda. Assim como ele brincou com o emblema, o que vemos hoje será o rumo da Montblanc daqui para a frente. Estamos muito animados.