Milhares de pessoas dão último adeus a Alfredo Di Stéfano

O velório de Alfredo Di Stéfano se transformou em uma verdadeira romaria de milhares de torcedores do Real Madrid

	Velório do ex-jogador Alfredo Di Stefano: ex-jogador morreu ontem aos 88 anos
 (REUTERS/Andrea Comas)
Velório do ex-jogador Alfredo Di Stefano: ex-jogador morreu ontem aos 88 anos (REUTERS/Andrea Comas)
D
David RamiroPublicado em 08/07/2014 às 13:47.

Madri - O velório de Alfredo Di Stéfano no estádio Santiago Bernabéu se transformou nesta terça-feira em uma verdadeira romaria de milhares de torcedores do Real Madrid, que buscar dar o último adeus ao ex-jogador que morreu ontem aos 88 anos.

Centenas de pessoas começaram a formar uma fila longa desde as primeiras horas da manhã, mostrando o tamanho da marca que o argentino deixou no coração dos "madridistas".

Antes da abertura das portas do camarote de honra do Santiago Bernabéu, várias centenas de pessoas aguardavam impacientes para se despedir de Di Stéfano.

O primeiro a chegar ao estádio foi o presidente do clube madrilenho, Florentino Pérez, que exerceu a função de anfitrião a todos as personalidades.

Junto a Pérez estava Emilio Butragueño, ex-jogador e atual diretor de Relações Institucionais do clube.

Os primeiros a chegar, antes das 11h (hora local), foram a delegada do governo em Madri Cristina Cifuentes, o ex-técnico da seleção espanhola José Antonio Camacho, e o ex-secretário de Estado para o Esporte Jaime Lissavetzky e o presidente do Comitê Olímpico Espanhol (COE), Alejandro Blanco.

Emocionante foi o momento do último adeus para o lateral direito do Real Dani Carvajal, que em 12 de maio de 2004 colocou junto com Di Stéfano a pedra fundamental da Cidade Esportiva de Valdebebas, centro de treinamento do clube.

Pouco após Carvajal deixar o local, chegaram ao velório Sergio Ramos e o capitão Iker Casillas.

Ao falar do argentino, o goleiro garantiu que "tudo dele lembra o Real Madrid".

José Ignacio Wert, ministro da Educação, Cultura e Esporte disse a jornalistas que Di Stéfano foi "o maior jogador que conheceu".

Também estiveram no estádio o presidente do Atlético de Madrid, Enrique Cerezo, além do diretor esportivo do clube, José Luis Pérez Caminero, e o capitão da equipe "colchonera", Gabi.

As personalidades se misturaram no camarote de honra do Santiago Bernabéu com os vários torcedores. Emilio Butragueño agradeceu as demonstrações de carinho e declarou que terá "gratidão eterna" a cada um dos presentes.

Alguns companheiros de vestiário de Di Stéfano no Real Madrid, como Amancio Amaro e José Emilio Santamaría se emocionaram diante do corpo do argentino.

O velório do ex-craque, que também vestiu as camisas de River Plate, Huracán, Millonarios e Espanyol, além das seleções de Argentina, Colômbia e Espanha, acontecerá até às 16h (horário de Brasília).