Estes são os melhores (e piores) alimentos para a sua memória

O que você inclui nas refeições de todo dia faz diferença para que o cérebro funcione bem ou aos trancos e barrancos

São Paulo – Seu hábito alimentar pode ajudar ou prejudicar o seu cérebro a depender dos ingredientes mais frequentes em suas refeições diárias.

Se o seu objetivo é turbinar o cérebro, investir em uma alimentação rica em frutas, especialmente as vermelhas, é uma das dicas da nutricionista Edvânia Soares, da Estima Nutrição.

Quer manter a capacidade de memorização afiada? Confira abaixo o que incluir e o que evitar na hora das refeições e lanchinhos:

Ovo: a gema é rica em colina, substância precursora do neurotransmissor acetilcolina, fundamental para os processos de aprendizagem e formação de memórias. A colina ainda faz parte das vitaminas do complexo B, essenciais para a proteção e o funcionamento dos neurônios.

 

Frutas vermelhas: “São fontes de antocianinas, compostos antioxidantes que melhoram a circulação sanguínea, a nutrição para o cérebro e a capacidade de absorver e reter novas informações”, destaca a nutricionista Edvânia Soares, da Estima Nutrição.

 

Probióticos: equilibrar a flora intestinal com a ingestão de bactérias benéficas ao organismo ajuda a regular a secreção de insulina – quando a produção desse hormônio atinge picos no sangue, o nível de açúcar acaba caindo demais, levando a uma queda de energia no cérebro, com fadiga mental, falta de concentração e lapsos de memória.

 

Açafrão (ou cúrcuma): o segredo do tempero seria a curcumina, substância antiinflamatória e capaz de proteger as células cerebrais contra os danos por stress, estilo de vida desequilibrado e envelhecimento natural. Em um estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, envolvendo adultos com queixas de memória, aqueles que consumiram curcumina regularmente tiveram resultados 28% melhores em testes de memória.

 

Peixes: atum, salmão, sardinha e outros são fontes de ômega-3, uma gordura boa para as funções cognitivas, e zinco, mineral que preserva a integridade dos neurônios e melhora a comunicação entre eles.

 

Maçã e morango: possuem fisetina, um antioxidante que protege as células cerebrais contra o stress oxidativo e danos inflamatórios e eleva a produção de neurotransmissores importantes para a atenção e memória.

 

EVITE!

Açúcar, alimentos industrializados e gorduras saturadas: eles têm ação inflamatória no organismo de maneira geral, inclusive no cérebro, o que está ligado ao desenvolvimento de doenças como Alzheimer e depressão, além de prejuízo às funções cognitivas.

 

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.