• AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
  • AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
Abra sua conta no BTG

Pesquisa revela a carreira com a pior qualidade de vida no trabalho

Ferramenta gratuita mede a percepção dos brasileiros em relação à qualidade de vida no trabalho. Veja os profissionais mais e menos felizes
 (Thinkstock/foto)
(Thinkstock/foto)
Por Camila PatiPublicado em 08/09/2018 06:00 | Última atualização em 20/01/2020 12:00Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo - Os corretores de imóveis lideram o ranking de profissionais mais insatisfeitos no trabalho, segundo a mais recente edição do Índice Sodexo de Qualidade de Vida no Trabalho (IQVT).

O índice varia de 1 a 10 e é uma ferramenta gratuita que mede a percepção dos brasileiros em relação à qualidade de vida no trabalho, por meio de um teste online que pode ser feito em 10 minutos.

No geral, a nota da qualidade de vida no 2º trimestre de 2018 foi 5,91, com base nas respostas de 1.884 profissionais de todo Brasil. Em relação ao mesmo período do ano passado, a queda é de 13%.

Divulgado trimestralmente, leva em conta seis dimensões da qualidade de vida: facilidade e eficiência, reconhecimento, interação social, crescimento pessoal, ambiente físico e saúde e bem-estar.

Os menores índices de satisfação dos brasileiros são ligados a crescimento pessoal (nota 5,55) e reconhecimento (5,21). Fernando Cosenza, vice-presidente de Marketing da Sodexo Benefícios e Incentivos atribui o problema ao cenário político econômico.

“As perspectivas mais pessimistas para o crescimento do PIB limitaram o investimento das empresas e isso impactou diretamente no ambiente de trabalho, fazendo com que a satisfação com itens relacionados ao reconhecimento dos colaboradores, como bônus e benefícios, apresentasse uma queda de 5% em comparação ao mesmo período em 2017”, diz o executivo.

Para os corretores de imóveis o indicador de qualidade de vida ficou apenas com 3 pontos. A crise que assola o mercado imobiliário no Brasil pode explicar parcela do mau humor da categoria, diz Fernando Cosenza, vice-presidente de Marketing da Sodexo Benefícios e Incentivos. “Eles passam por um momento de estagnação no mercado em que atuam”, diz.

Ainda na divisão por carreira/cargo/função, jovens em começo de carreira se mostram os mais felizes até que aqueles que estão no topo da hierarquia.  “Os estagiários, que se dizem mais satisfeitos com a qualidade de vida no trabalho (6,82 pontos) provavelmente estão se beneficiando das iniciativas ao redor do Brasil que promovem a entrada destes profissionais no mercado de trabalho e que atualmente estão em alta. Veja o ranking: