Carreira
Acompanhe:

Crescimento de busca por renda extra e a possibilidade de trabalhar sem sair de casa

Brandlovrs, nova plataforma que ajuda qualquer pessoa a se tornar um creator e receber recompensas das marcas

O mercado vive uma transformação constante, com a criação de novos conceitos e formas de trabalho. As pessoas estão explorando cada vez mais caminhos de conseguir parte de sua renda através dos canais digitais (ArtistGNDphotography/Getty Images)

O mercado vive uma transformação constante, com a criação de novos conceitos e formas de trabalho. As pessoas estão explorando cada vez mais caminhos de conseguir parte de sua renda através dos canais digitais (ArtistGNDphotography/Getty Images)

D
Da Redação

18 de janeiro de 2023, 10h47

A realidade econômica do país não está na sua melhor época, algo que impacta não apenas nos gastos, mas na forma de ganhar dinheiro. Atualmente o Brasil apresenta um recorde no número de trabalhadores autônomos, onde segundo dados da pesquisa nacional por amostra de domicílio (Pnad), divulgada pelo IBGE no final do segundo semestre de 2022, são mais de 25,7 milhões de trabalhadores atuando nessa modalidade, um crescimento de 4,7% comparado ao ano anterior. Esses números são reflexos de profundas mudanças estruturais que o país está passando quando o assunto é emprego, onde na impossibilidade de seguir um padrão comumente conhecido e estável, que é ter um emprego fixo com carteira assinada, os trabalhadores estão em busca de sua própria maneira de fazer dinheiro para garantir o alimento na mesa no final do dia. 

Na tentativa de dar conta de tudo, outro fator que chama atenção é o crescimento do números de brasileiros que buscam uma renda extra. O Instituto Real Time Big Data aponta que quase metade da população (48%) declara buscar alguma renda extra para lidar com as despesas mensais. Os 45% dos respondentes que tiveram queda em seus ganhos é quase equivalente a porcentagem de quem busca uma renda extra, sendo uma justificativa deste comportamento.

As opções de renda extra são muitas, desde trabalhos extras, ter um pequeno negócio (venda de doces, artesanatos e afins), ou até mesmo a busca por serviços em aplicativos como Uber, 99, iFood, Rappi e outros que possuem grande impacto na economia do país. Outra modalidade de trabalho que chama atenção é a Creators Economy (mercado de creators, ou criadores de conteúdo). Um sonho para muitos, realidade de rentabilização para poucos.

Para os criadores de conteúdo, principalmente os pequenos, a monetização de sua paixão profissional não tem sido muito próspera. De acordo com o último relatório da gestora de investimentos Atlântico, menos de 50% ganham mais de R$ 500 ao mês e 23% ainda não possuem receita nenhuma. Tendo em vista que 75% dos brasileiros entre 8 e 23 anos querem ser criadores digitais e, de acordo com o Influencer Marketing Hub, o Brasil já tem 9 milhões (13 milhões em outras estimativas) criadores digitais em todas as plataformas, há uma grande oportunidade de mercado a ser criado por este recorte.

O que era antes era uma realidade distante de muitas pessoas, começa a virar uma possibilidade de renda palpável. A BrandLovrs acredita que hoje qualquer pessoa pode ser considerada uma criadora de conteúdo:"Pesquisas apontam que existem 9 milhões de creators no Brasil.  No entanto, eu acredito que essa definição sobre o que é um creator é muito limitada. Ao meu ver, uma grande parcela da população cria conteúdo diariamente nas redes sociais e, de forma direta ou indireta, influencia as decisões de suas audiências, sejam elas pequenas ou grandes. Estamos vivendo uma revolução do comportamento do consumo, todos somos influenciadores. A meu ver, quem tem a possibilidade de ter acesso a internet e uma conta nas redes sociais deveria ter a oportunidade de fazer uma renda extra compartilhando o conteúdo das marcas que amam.", diz Rafael Marino, um dos fundadores da plataforma. A BrandLovrs atua conectando marcas e criadores de conteúdo (ou creators). Lançada no 2º semestre de 2022, traz a possibilidade de gerar renda de forma simples. A plataforma atua de forma intuitiva, dinâmica e automatizada como se fosse um marketplace em que as marcas disponibilizam uma série de desafios para os creators, resultando em uma grande comunidade digital que gera vendas. Quanto mais desafios os criadores de conteúdo realizam, maior a recompensa.

Nos seus 3 primeiros meses de existência, a BrandLovrs já conta com uma comunidade de mais de 5 mil criadores de conteúdos mais de 35 marcas, como a Linus, LegBox, Polar, Aramis, Lubs, Espaço Rubro Negro e Evi. Alguns registros que chamam atenção são o de uma Creator que conseguiu mais de R$7.000 de renda extra em menos de 60 dias, e de outro criador de conteúdo que totalizou o dobro deste valor em renda, R$14.000, no mesmo período ao colaborar com 4 marcas diferentes. Além deles, outros milhares de criadores conseguiram complementar a renda do mês, sem nem sair de casa. A empresa tem como meta escalar o negócio para 50 mil Creators e 300 marcas nos próximos 18 meses, além de expandir a atuação para outros mercados da América Latina, uma ambição que dará oportunidade de trabalho para muitas pessoas.

Um exemplo é o Ramon Gomes, que tem 22 anos e é de Campos dos Goytacazes e mora com a avó e o tio. Atualmente, é estagiário do INSS com uma renda mensal de R$1.194. Ele é super fã da Ludmilla, tem apenas 400 seguidores em suas redes sociais e chegou na BrandLovrs através dela. Mesmo nunca tendo trabalhado com vendas, ele liderou o ranking do primeiro desafio do perfume Lood Pantera com 68 vendas, o que gerou uma renda extra de R$1.360 e ainda levou pra casa mais R$3.000 de premiação bônus, além do perfume exclusivamente autografado pela Ludmilla, ou seja, mais de 3,5x a sua renda atual, tudo isso usando o poder da sua rede de contatos do Instagram, Twitter, Youtube e Whatsapp.

"Essa está sendo a minha experiência com vendas e me orgulho muito ter chegado onde cheguei. Antes não fazia ideia desse potencial das minhas redes sociais, agora estou aprendendo e evoluindo. Foi surpreendente descobrir essa oportunidade pra minha vida."

Outro exemplo é a Danielle Oliveira, que tem 27 anos e trabalha como atendente de loja:

"Eu conheci a BrandLovrs através de uma das marcas de perfume que estavam com desafios ativos na plataforma. Vi a oportunidade de além de dar descontos para meus amigos e seguidores, poderia ganhar cashback. Junto com 5 amigas criamos uma página para divulgar esses desafios e tivemos mais de 90 vendas no último mês. Esse valor é mais do que 100% do que ganho no meu trabalho atual." 

O mercado vive uma transformação constante, com a criação de novos conceitos e formas de trabalho. As pessoas estão explorando cada vez mais caminhos de conseguir parte de sua renda através dos canais digitais. É o momento de aproveitar a onda e fortalecer uma economia em ascensão. Como um exemplo desta tangibilização social, o Sebrae lançou em 2021 um guia com ideias para obter renda extra online, onde algumas opções são: trabalhar com redação, criar um canal no YouTube, vendas e mídias sociais. Já é possível que o sonho de muitos se torne um meio de trabalho rentável.