Como falar em público e cativar as pessoas por chamada de vídeo

Com a pandemia, palestras e apresentações foram totalmente para o online, mas enfrentam o desafio imposto pelo cansaço de se compartilhar telas
Home office: com a pandemia, dicas para falar bem e se comunicar com a plateia seguem as mesmas no ambiente online, mas ganham novos pontos de atenção (SophonK/Getty Images)
Home office: com a pandemia, dicas para falar bem e se comunicar com a plateia seguem as mesmas no ambiente online, mas ganham novos pontos de atenção (SophonK/Getty Images)
V
Victor Sena

Publicado em 29/01/2021 às 15:39.

Última atualização em 01/02/2021 às 10:44.

Conquistar a atenção do público e comunicar bem uma mensagem já é desafiador quando se está em um auditório ou sala de reuniões. E isso fica ainda mais difícil quando as apresentações devem ser feitas online, o que virou regra nos últimos meses devido à pandemia. Aplicativos como Zoom, Google Meets e Teams cresceram devido ao trabalho remoto. 

As dicas para falar bem e se comunicar com a plateia seguem as mesmas no ambiente online, mas ganham novos pontos de atenção.  No curso “Oratória: como falar em público sem medo”, da Exame Academy, é possível ter uma preparação completa.

A preparação, o treino e a estruturação da mensagem são alguns dos pontos mais importantes. Veja abaixo algumas dicas para falar em público, fornecidas à EXAME pela especialista em carreira e desenvolvimento pessoal Susanne Andrade. Seja por videochamada ou presencialmente. 

Treine 

Assim como qualquer outra habilidade, falar em público requer prática. Para Susanne Andrade, uma das principais dicas é começar com um público pequeno e ir aumentando seu tamanho. Além disso, vale treinar com uma pessoa bastante próxima, ou até no espelho. Ao treinar com pessoas próximas, pessoas tímidas podem ficar mais à vontade e se soltar. 

Normalize o medo

Para ficar mais à vontade diante de outras pessoas, é importante reconhecer que é normal sentir apreensão. Mesmo quem fica muito à vontade em público, sente um frio na barriga antes de começar a falar. 

“A minha dica é perguntar para esse medo, esse frio na barriga: "Você vai comigo ou vai ficar aí? Você só não vai me paralisar?". A gente tem que ir com esse medo mesmo. Coragem não é falta de medo, é ir com ele mesmo, que ele aí some”, explica Susanne.

Tenha um posicionamento claro

Para fazer uma mensagem “colar” em uma audiência, é importante lembrar qual é o seu posicionamento, o que você defende, o seu propósito. Isso ajudará na estruturação das mensagens.

Estruture a mensagem 

Ao treinar, é fundamental “desenhar” o caminho de raciocínio lógico que você vai seguir. Estruturar a sua comunicação. Isso dá autoconfiança. 

Uma das técnicas é a do storytelling, que utiliza as histórias para despertar conexão com a audiência. 

Outra estrutura de mensagem é a de levantar um problema, um que as pessoas se identifiquem, e mostrar as causas e soluções. Quando tem a ver com seu meio, a pessoa se sensibiliza com a apresentação. 

Olhe nos olhos

Susanne Andrade também dá a dica do olhar que se conecta com o das pessoas, principalmente em apresentações presenciais. Segundo ela, as pessoas se sentem importantes dessa forma.

“Se você estiver inseguro, busque pessoas que estão com rosto acolhedor, isso ajuda a dar mais confiança. Falar com paixão também é uma das características das pessoas que falam bem em público. 

É importante lembrar, porém, que podem acontecer imprevistos. Se isso ocorrer, a pessoa tem que lembrar que seu público não conhece o que você iria fazer em seguida. Por isso,dá para ser espontâneo e seguir em frente.”

No online, redobre os esforços 

Todas as dicas anteriores mantêm-se quando falamos de palestras e aulas virtuais, mas o mais importante é investir em apresentações dinâmicas, com mais interação.

Para isso, não fique sempre com a tela compartilhada em exibição. É importante aparecer no vídeo também, para que as pessoas possam se conectar com você. Além disso, peça que as pessoas abram as câmeras e façam perguntas. Isso atrai a atenção da pessoa, que se estiver trabalhando em home office já fica mais comprometida.