Um conteúdo Bússola

Seara anuncia frota de 200 caminhões 100% elétricos até janeiro

Cada veículo elétrico da frota evita o lançamento anual de cerca de 30 toneladas de gás carbônico equivalente na atmosfera
Veículo elétrico conta com baixo custo de manutenção (Seara/Divulgação)
Veículo elétrico conta com baixo custo de manutenção (Seara/Divulgação)
B
BússolaPublicado em 09/08/2022 às 17:15.

A Seara anunciou que vai ampliar sua frota de caminhões refrigerados 100∞ elétricos para 200 veículos até janeiro de 2023. Hoje são 19. A companhia vai utilizar os veículos fornecidos pela No Carbon, nova empresa da JBS Novos Negócios especializada em locação de caminhões movidos a eletricidade, para realizar viagens locais de distribuição de seus produtos a seus clientes.

Cada veículo elétrico da frota evita o lançamento anual de cerca de 30 toneladas de gás carbônico (CO₂) equivalente na atmosfera. Os caminhões da NoCarbon têm 170 quilômetros de autonomia, capacidade de transportar até 4 toneladas de carga e são equipados com baús frigoríficos, armazenando, simultaneamente, produtos resfriados e congelados. A iniciativa contribui para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

“Nosso objetivo é ampliar cada vez mais o alcance de soluções logísticas sustentáveis e de baixo carbono. Por isso, temos como meta ter veículos elétricos em todas as regiões metropolitanas com Centro de Distribuição da Seara”, afirma Fabio Artifon, diretor de Logística da Seara. A marca é pioneira na adoção de caminhões elétricos refrigerados, cujos veículos já realizam a distribuição de produtos em Santa Catarina, São Paulo, Paraná e Distrito Federal.

Com a introdução dos 200 novos veículos na frota de transporte, a Seara estima reduzir as emissões em cerca de 6.000 toneladas, o equivalente ao plantio de 45 mil árvores. Isso porque os caminhões elétricos vão substituir os veículos movidos a diesel, mais poluentes. “Com a entrada dos novos caminhões elétricos, viabilizamos a renovação da frota e apoiamos o nosso transportador parceiro sem que ele precise fazer o investimento de transição para uma frota de baixo carbono”, diz Artifon.

O avanço da eletrificação da frota de transporte faz parte dos esforços da JBS para se tornar Net Zero em 2040 – nesse ano zerando o balanço de suas emissões de escopo 1 (de suas operações diretas), 2 (ligadas a energia) e 3 (relacionadas aos fornecedores e cadeia pós-industrial), compensando toda a emissão residual.

Além de contribuir para reduzir os impactos ambientais, uma das principais vantagens dos veículos elétricos é o baixo custo de operação e manutenção. Cada vez mais as empresas têm adotado caminhões elétricos em suas frotas. São caminhões que não possuem, por exemplo, filtro de ar, filtro de óleo, filtro de combustível, sistema de escapamento, correias, bico injetor, bomba de injeção e demais itens que fazem a manutenção de um veículo convencional custar até seis vezes mais do que o modelo elétrico.

A companhia tem procurado diversificar e intensificar o uso de fontes de energias renováveis em suas operações. As oscilações do preço do diesel, que também é mais poluente, podem impulsionar ainda mais a adoção desses veículos elétricos, além do uso de outras fontes alternativas de combustíveis, como o biodiesel e o biometano.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Startup devolve a prateleiras 9 milhões de itens aptos para consumo ao mês

Getnet lança máquina de pagamento produzida à base de resíduos plásticos

Heineken reduziu um terço do uso de água na produção de cerveja em 10 anos