O que a aceleração dos áudios do WhatsApp tem a ver com o que somos

Nos transformamos em aceleradores de conteúdo, de emoções, de momentos. Aceleramos as refeições, a intimidade, a apreciação de feed alheio

Quando o WhatsApp liberou o recurso de aceleração dos áudios, há poucas semanas, pensei que aquilo era tudo o que eu mais precisava para resolver os podcasts que eu recebo no dia a dia.  Entenda: não sou uma pessoa de áudio, mas respeito quem seja.

Poder acelerar os áudios em até 2x parecia o sonho de uma noite de verão de alguém que recebe tantos por dia. Eu já tinha testado antes no Telegram e no Signal, mas como o WhatsApp é, de fato, uma ferramenta de trabalho para mim, imaginei que passaria a ser o heavy user da aceleração de vozes.

No começo tudo parecia divertido e inocente. A voz das pessoas distorcidas, a velocidade que, aparentemente, parecia trazer mais otimização de tempo ao meu dia a dia. E hoje, 2 semanas depois, o que parecia bom tornou-se triste. Depressivo, até.

É desolador constatar que hoje, com o impacto do gigantesco volume de informação com o qual lidamos todos os dias, intensificado com o momento pandêmico pelo qual passamos, não temos mais 1, 2 ou até 3 minutos para escutar um colega/parceiro de trabalho. É ainda mais angustiante pensar que acabamos fazendo isso também com amigos, familiares e entes queridos. Sim, também os acelerei.

Nós, como sociedade, nos transformamos, em parte, nisso. Em aceleradores de conteúdo, de emoções, de momentos. Aceleramos as refeições, a intimidade, a apreciação de feed alheio. Queremos e precisamos fazer tudo ao mesmo tempo: “Tempo é dinheiro”, diziam.

Mas o tempo virou tão escasso frente a todas as responsabilidades que ele próprio nos impõe que acabamos nos perdendo, achando que a economia de minutos nos salvaria de todo o resto.

Portanto amigos, se puder, não acelere os áudios. Pegue 5 minutinhos do seu tempo para ouvir alguém que gastou 5 minutos direcionados a você. E mais: Desacelere. Curta mais. Vou tentar seguir o mesmo por aqui.

*Jaderson Alencar é sócio-diretor da FSB Comunicação 

Siga Bússola nas redes:  InstagramLinkedin  | Twitter  |   Facebook   |  Youtube 

Mais da Bússola:

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também