Coronavírus: muitas dúvidas, poucas certezas

Coluna de Alon Feuerwerker comenta o anúncio do primeiro-ministro britânico de que a nova cepa detectada no Reino Unido pode ser mais mortal

O premiê Boris Johnson deu a má notícia da sexta-feira. A mortalidade provocada pela nova cepa do SARS-CoV-2 detectada inicialmente no Reino Unido pode ser uns 30% ou 40% maior que a produzida pelo vírus na primeira onda.

Já se sabia que a transmissão era bem maior, de 30% a 70%. Mas é a primeira vez que se fala em mais mortalidade.

A covid-19 continua, portanto, uma caixinha de surpresas. Não é o caso de aderir ao relativismo, mas talvez seja prudente aceitar que se sabe ainda pouco sobre o patógeno.

Algumas coisas são conhecidas, claro. Distanciamento e isolamento sociais dificultam a propagação do vírus. E vacinas ajudam a pelo menos evitar as formas mais graves da doença provocada por ele. Mas não dá para o mundo todo ficar trancado e isolado em casa até todo mundo ser vacinado. Infelizmente.

O que fazer então? Uma coisa útil é lembrar sempre de Sócrates (o ateniense). E entender que a consciência da própria ignorância talvez seja o pilar fundamental da sabedoria.

*Analista político da FSB Comunicação

Siga Bússola nas redes:  InstagramLinkedin  | Twitter  |   Facebook   |  Youtube 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.