"VoltaPT" é o assunto mais comentado do Twitter nesta sexta

Termo surgiu na rede social depois que Bolsonaro afirmou que se não houvesse apoio a sua indicação do PGR ele cairia e o PT voltaria ao governo

O assunto mais debatido no Twitter na tarde desta sexta-feira, 6 é a hashtag #VoltaPT. Ontem à tarde, o presidente Jair Bolsonaro, em transmissão ao vivo pelo Facebook, disse a seus apoiadores que não o apoiarem na indicação de Augusto Aras para procurador-geral da República: "Eu caio mais cedo e mais cedo o PT volta."

Opositores do governo, principalmente os petistas, aproveitaram a deixa e impulsionaram hoje o assunto, que chegou ao sexto lugar mundial. De modo oposto, parlamentares da base governista sequer mencionaram o assunto.

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, citou a hashtag ao comentar supostas conquistas do período no qual o partido esteve na Presidência da República. "Geramos milhões de empregos, aumentamos renda do trabalhador, acabamos com a fome, abrimos vagas em universidades, facilitamos compra de carros, TVs, demais bens de consumo, mantemos gasolina e gás a preços decentes, asseguramos sua casa própria", disse.

O vice-líder do PT na Câmara, o deputado Nilto Tatto (PT-SP), diz não estar impressionado com a relevância do assunto. "Porque eu não me surpreendo, que depois da entrevista de ontem do @LulaOficial ao Mino Carta a tag #VoltaPT figura entre os assuntos mais comentados do Twitter?"

A também vice-líder do PT na Câmara, deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) escreveu em sua conta: "O Brasil assistiu estarrecido alguém que não se dispôs a debater, não apresentou um plano de governo decente, ser eleito com mentiras. As pessoas sabem quem fez a diferença. #LulaLivre #VoltaPT".

Já o deputado Waldenor Pereira (PT-BA) afirmou que o "Brasil percebeu o erro que foi eleger o fascista Bolsonaro e a injustiça que se foi cometida com Lula para poder colocá-lo na Presidência". De acordo com Pereira, "o Brasil tem saudade de quando era feliz" e, por isso, pede a volta do PT, "porque não dá mais para aguentar tanto descaso e tanta maldade com o povo".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.