Vencedores da Mega-Sena não precisam dar "dízimo" ao PT, diz Gleisi

É comum filiados doarem parte do salário para ajudar na manutenção do partido, mas segundo a presidente do PT essa regra não vale no prêmio da Mega-Sena

Os vencedores do bolão da Mega-Sena filiados ao PT não vão precisar dar o "dízimo", como são batizadas as contribuições que parlamentares e ocupantes de cargos de confiança filiados têm que fazer ao partido. Pelo estatuto petista, quem for membro do PT tem de contribuir com um porcentual de 2% a 20% do salário para ajudar na manutenção da legenda. O prêmio total foi de R$ 120 milhões e cada um dos apostadores deve receber R$ 2,5 milhões.

"Não. O prêmio não entra na regra. Mas quem quiser doar uma parte, será muito bem vindo", afirmou a presidente do PT, Gleisi Hoffmann. A reportagem apurou que uma vencedora que está lotada na assessoria técnica já afirmou que vai doar uma porcentagem.

 

O porcentual varia de acordo com o valor do salário e é maior para os parlamentares. A cobrança do dízimo pelo PT já foi contestada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que proibiu o desconto na folha de pagamento. Mas o estatuto do partido, alterado em 2007, mantém a obrigatoriedade do pagamento mensal. Os parlamentares inadimplentes ficam sujeitos até a serem expulsos da legenda.

Dos 96 servidores nomeados no gabinete da liderança, apenas um foi deputado: Waldir Damous (PT-RJ). De acordo com dirigentes do partido, ele não participou do bolão.

O grupo que apostou é formado por assessores e funcionários da Câmara. De acordo com dois vencedores, que pediram anonimato, cada cota tinha valor de R$ 10. Assim que saiu o resultado, o grupo saiu comemorando pelo corredor chamando a atenção de quem passava. O prêmio dos petistas é o terceiro maior deste ano e um dos 20 mais altos da história. O maior foi sorteado em maio, para um sortudo que levou R$ 289 milhões.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também