• AALR3 R$ 20,06 -0.40
  • AAPL34 R$ 67,03 -2.59
  • ABCB4 R$ 16,61 -0.89
  • ABEV3 R$ 13,98 -0.71
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,64 -3.01
  • AGRO3 R$ 30,78 -0.39
  • ALPA4 R$ 20,53 -1.11
  • ALSO3 R$ 18,94 -2.72
  • ALUP11 R$ 27,14 -0.11
  • AMAR3 R$ 2,39 -3.24
  • AMBP3 R$ 30,31 -2.76
  • AMER3 R$ 22,91 -4.82
  • AMZO34 R$ 63,30 -3.36
  • ANIM3 R$ 5,29 -4.68
  • ARZZ3 R$ 79,19 -0.40
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.39
  • AZUL4 R$ 20,43 -6.97
  • B3SA3 R$ 11,82 -2.31
  • BBAS3 R$ 37,61 -0.93
  • AALR3 R$ 20,06 -0.40
  • AAPL34 R$ 67,03 -2.59
  • ABCB4 R$ 16,61 -0.89
  • ABEV3 R$ 13,98 -0.71
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,64 -3.01
  • AGRO3 R$ 30,78 -0.39
  • ALPA4 R$ 20,53 -1.11
  • ALSO3 R$ 18,94 -2.72
  • ALUP11 R$ 27,14 -0.11
  • AMAR3 R$ 2,39 -3.24
  • AMBP3 R$ 30,31 -2.76
  • AMER3 R$ 22,91 -4.82
  • AMZO34 R$ 63,30 -3.36
  • ANIM3 R$ 5,29 -4.68
  • ARZZ3 R$ 79,19 -0.40
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.39
  • AZUL4 R$ 20,43 -6.97
  • B3SA3 R$ 11,82 -2.31
  • BBAS3 R$ 37,61 -0.93
Abra sua conta no BTG

Como vai funcionar a vacinação de crianças no Brasil; entenda

Com a chegada das doses, a expectativa é saber como vai funcionar a vacinação das crianças
Vacinação de crianças: segundo o Ministério da Saúde, a imunização de crianças de 5 a 11 anos será feita por faixa etária (Reuters/Stephane Mahe)
Vacinação de crianças: segundo o Ministério da Saúde, a imunização de crianças de 5 a 11 anos será feita por faixa etária (Reuters/Stephane Mahe)
Por André MartinsPublicado em 13/01/2022 16:24 | Última atualização em 13/01/2022 17:44Tempo de Leitura: 7 min de leitura

A primeira remessa da vacina da Pfizer contra covid-19 para crianças de 5 a 11 anos chegou nesta quinta-feira, 13, ao Brasil. O lote foi desembarcado ainda na madrugada desta quinta-feira, no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, com um total de 1,248 milhão de doses.

Com a chegada das doses, a expectativa é saber como vai funcionar a vacinação das crianças. Segundo o Ministério da Saúde, a imunização de crianças de 5 a 11 anos será feita por faixa etária, com prioridade para os que têm comorbidades ou sejam portadores de deficiência permanente. De acordo com a nota técnica divulgada pela pasta, a ordem será a seguinte:

  • crianças de 5 a 11 anos com deficiência permanente ou com comorbidades
  • crianças indígenas e quilombolas
  • crianças que vivem na mesma residência de pessoas com alto risco de complicações da covid-19
  • crianças sem comorbidades, em ordem decrescente de idade: primeiro, as de 10 e 11 anos; depois, as de 8 e 9 anos; em seguida, as de 6 e 7 anos; e, por último, as crianças de 5 anos.

O avanço da vacinação pode mexer com seu bolso: saiba como proteger seu patrimônio.

Segundo o ministério, as doses serão distribuídas de forma proporcional aos estados e ao Distrito Federal, de acordo com a população-alvo. As doses começam a ir para os estados a partir da sexta-feira, 14. Até o início da próxima semana, as entregas do primeiro lote de 1,2 milhão de doses, que chegou na madrugada de hoje, 13, ao Brasil, devem estar concluídas.

Quando começa a vacinação de crianças no Brasil?

Cada estado vai divulgar a data de início da vacinação. Cabe às secretarias estaduais de Saúde a distribuição das doses para os municípios. Como cada região tem realidade logística diferente, a definição do cronograma fica por conta dos gestores estaduais e municipais. Algumas cidades já começaram a divulgar o calendário para inicio da aplicação.

Em São Paulo, a previsão é que a imunização de crianças comece a partir da próxima segunda-feira, 17. O governo paulista disponibilizou o pré-cadastro para vacinação em crianças no portal Vacina Já. A cidade do Rio de Janeiro também quer começar a vacinação na mesma data, assim como Goiânia e o Distrito Federal. Porto Alegre planeja iniciar a vacinação na quarta-feira, 19. Em Manaus, a previsão é começar a imunização na terceira semana de janeiro.

Confira abaixo a previsão de chegada das doses em cada unidade da Federação, segundo o Ministério da Saúde:

  • São Paulo - como o estado não necessita de transporte aéreo, as doses serão entregues até sexta-feira.
  • Distrito Federal - Previsão chegada: 14/1, 00h05
  • Goiás - Previsão chegada: 14/1, 1h30
  • Mato Grosso do Sul - Previsão chegada: 14/1, 7h35
  • Mato Grosso - Previsão chegada: 14/1, 8h30
  • Alagoas - Previsão chegada: 14/1, 10h30
  • Bahia - Previsão chegada: 14/1, 1h20
  • Ceará - Previsão chegada: 14/1, 3h00
  • Maranhão - Previsão chegada: 14/1, 11h35
  • Paraíba - Previsão chegada: 14/1, 11h35
  • Pernambuco - Previsão chegada: 14/1, 1h20
  • Piauí - Previsão chegada: 14/1, 16h40
  • Rio Grande do Norte - Previsão chegada: 14/1, 2h00
  • Sergipe - Previsão chegada: 14/1, 14h40
  • Acre - Previsão chegada: 13/1, 23h50
  • Amazonas - Previsão chegada: 14/1, 2h40
  • Amapá - Previsão chegada: 14/1, 13h10
  • Pará - Previsão chegada: 14/1, 1h55
  • Rondônia - Previsão chegada: 14/1, 10h45
  • Roraima - Previsão chegada: 14/1, 12h35
  • Tocantins - Previsão chegada: 14/1, 10h30
  • Espírito Santo - Previsão chegada: 14/1, 00h15
  • Minas Gerais - Previsão chegada: 14/1, 8h15
  • Rio de Janeiro - Previsão chegada: 14/1, 00h45
  • Paraná - Previsão chegada: 14/1, 07h50
  • Rio Grande do Sul - Previsão chegada: 14/1, 00h45
  • Santa Catarina - Previsão chegada: 14/1, 8h25

Qual o intervalo das doses contra covid-19 para as crianças?

De acordo com a atualização do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO), do Ministério da Saúde, o intervalo entre as duas doses deve ser de oito semanas. Os pais devem estar presentes na imunização dos filhos e se isso não for possível, a aplicação deve ser autorizada em termo de consentimento assinado por eles.

É preciso de prescrição médica?

Não. A possibilidade foi cogitada pelo ministro Marcelo Queiroga, mas foi descartada após a maioria dos participantes da consulta pública organizada pelo Ministério da Saúde ser contra a medida.

Quantas doses para crianças o Brasil comprou?

As doses de vacinas para crianças fornecidas pela Pfizer ao Brasil fazem parte de um contrato entre a farmacêutica e o governo brasileiro para o fornecimento de 100 milhões de doses de vacinas em 2022. De acordo com o ministro Marcelo Queiroga, cerca de 20 milhões de doses estão previstas para chegar ao Brasil até março. São 4,3 milhões de doses em janeiro; 7,2 milhões em fevereiro e 8,4 milhões em março.

A dose para crianças será diferente da aplicada em pessoas a partir de 12 anos. Os frascos terão cores distintas para evitar erros na aplicação. A embalagem do imunizante para crianças tem a cor laranja e para adultos, roxa.

Segundo dados do IBGE, o Brasil tem cerca de 20,5 milhões de crianças entre 5 a 11 anos. A quantidade seria suficientes apenas para imunizar toda a população desta faixa etária com a primeira dose. Para completar o esquema vacinal de todas as crianças, são necessárias 40 milhões de doses. O Ministério da Saúde diz que encomendará novas doses pediátricas conforme à adesão dos pais pela vacinação infantil.

Coronavac para crianças?

Nesta quinta-feira, 13, a Anvisa e o Instituto Butantan realizaram mais uma reunião sobre a aplicação da vacina Coronavac em crianças de 3 a 11 anos. Desta vez, as expectativas são altas de que o imunizante seja aprovado em breve — o governador João Doria (PSDB) disse em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 12, que o órgão nacional deve tomar uma decisão na próxima semana.

Na prática, as conversas ocorrem desde meados do ano passado: o Butantan entrou em dezembro com pedido de aprovação da Coronavac para crianças junto à Anvisa, mas a agência havia pedido mais dados. 

O que há de diferente é que agora o instituto conta com estudos desenvolvidos pela Universidade Católica do Chile que mostram eficácia e segurança da Coronavac no público menor de idade. Ao todo, 1,4 milhão de chilenos entre 3 e 17 anos tomaram o imunizante "em segurança".

Recomendações da Anvisa sobre vacinação infantil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou, no início do mês, uma série de recomendações sobre a vacinação infantil. A agência sugere que a imunização ocorra em sala separada da de adultos e que a vacina não seja administrada no mesmo período de outras do calendário. Por precaução, é recomendado intervalo de 15 dias.

A Anvisa também recomenda que seja evitada a vacinação de crianças no esquema drive-thru (dentro do carro); que elas fiquem em observação no local por 20 minutos após receber a dose; e que os profissionais de saúde informem os pais sobre possíveis efeitos adversos do imunizante, como dor, inchaço no local da aplicação e febre.

Coronavírus em crianças

Embora a covid-19 tenha se mostrado, até agora, menos grave em crianças, ainda não se sabe como a variante ômicron, mais transmissível, afeta esse grupo.

Desde o início da pandemia, o Ministério da Saúde contabilizava 308 mortes entre crianças entre 5 e 11 anos até sexta-feira, 7.

Pediatras se preocupam ainda com a chamada covid longa, as sequelas que permanecem após a recuperação da doença e podem afetar também as crianças recuperadas.

Nos Estados Unidos, estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças mostrou ainda que houve na semana passada o maior número já registrado de infecções por covid-19 em crianças de 4 anos ou menos, ainda não elegíveis para vacinação no país, que só comporta os acima de 5 anos.

No total das faixas etárias, da média de 600 mil casos diários que têm sido registrados nos EUA, um em cada cinco é em crianças, diz o CDC.

As autoridades americanas voltaram a pedir que pais levem as crianças para serem imunizadas. Menos de 20% na faixa entre 5 e 11 anos tomou uma dose nos EUA, embora as doses estejam disponíveis desde dezembro.

Com informações do Estadão Conteúdo, Agência Brasil e O Globo. 

Veja Também

SpaceX, de Elon Musk, vai lançar satélites brasileiros
Tecnologia
Há 4 horas • 2 min de leitura

SpaceX, de Elon Musk, vai lançar satélites brasileiros

Brasil tem média diária de 97 mortes por covid-19
Brasil
Há um dia • 2 min de leitura

Brasil tem média diária de 97 mortes por covid-19

Educação financeira é assunto de criança, sim
Um conteúdo Bússola
Há um dia • 4 min de leitura

Educação financeira é assunto de criança, sim

Cresce suspeita de elo entre vírus de hepatite e covid-19
Ciência
Há um dia • 7 min de leitura

Cresce suspeita de elo entre vírus de hepatite e covid-19