Tuítes revelam dimensão do choque após morte de Marielle

7% dos tuítes sobre o assunto usaram episódio para criticar a esquerda; mas, em geral, clima era de indignação e luto

São Paulo – Uma análise dos tuítes publicados depois do assassinato da vereadora Rio de Janeiro (RJ) Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, traz uma dimensão do impacto do caso para a opinião pública. Só no Twitter, o assunto foi mencionado em mais de meio milhão de postagens em apenas 19 horas.

É o que mostra levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV realizado na rede social entre às 22h do dia 14 de março, poucos minutos após o crime, até às 17h desta quinta-feira (15). Só a título de comparação, em cinco dias, a intervenção federal no Rio de Janeiro rendeu 626,5 mil tuítes.

O nome de Marielle Franco aparece em 60% das postagens. Os termos “execução” e “executada” representam 9% do debate. A hashtag #mariellepresente aparece em 44,7 mil tuítes, seguida da  hashtag #nãofoiassalto (17 mil posts).

Segundo o estudo, 88% das publicações expressam luto pela morte da vereadora. Entre esse grupo de usuários, as postagens mais populares endossam a visão de que Marielle teria sido “executada propositalmente, e que não se tratou de um crime comum. A hipótese mais levantada é que a polícia estaria de alguma forma envolvida com o homicídio”.

Em oposição, 7% das postagens usaram o episódio para criticar a esquerda, o PSOL e ativistas de direitos humanos.

“Os tuítes principais se questionam quanto ao posicionamento da esquerda e especificamente do PSOL sobre a punição de bandidos. Na visão de tais atores, a esquerda defende bandido e é contra a punição dos mesmos”, diz a pesquisa.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), único do clã Bolsonaro a se pronunciar sobre o caso, faz parte desse grupo. Poucas horas depois do crime, ele acusou o PSOL de hipocrisia.

"Se você morrer seus assassinos serão tratados por suspeitos, salvo se você for do PSOL, aí você coloca a culpa em quem você quiser, inclusive na PM. Eis o verdadeiro preconceito, a hipocrisia. 'Para os meus amigos tudo, aos demais a lei'", escreveu.

De qualquer forma, para além da repercussão nas redes sociais, mais de 20 atos levaram milhares de pessoas às ruas pela memória de Marielle Franco na noite de ontem (15).

 

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.