Brasil

Temer sanciona reajuste para servidores do Judiciário

O presidente interino sancionou, sem vetos, o reajuste salarial para os servidores do Judiciário, incluindo os ministros do Supremo


	Michel Temer: Senado aprovou um reajuste de 41,47 por cento para os servidores do Judiciário
 (Beto Barata/PR)

Michel Temer: Senado aprovou um reajuste de 41,47 por cento para os servidores do Judiciário (Beto Barata/PR)

DR

Da Redação

Publicado em 20 de julho de 2016 às 22h03.

Brasília - O presidente em exercício, Michel Temer, sancionou sem vetos nesta quarta-feira, 20, o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 29, que trata do reajuste das carreiras dos servidores do poder Judiciário e do Ministério Público da União (MPU).

A medida será publicada nesta quinta-feira, 21, no Diário Oficial da União. Juntas, elas terão impacto superior a R$ 25 bilhões até 2019.

O projeto estabelece reajuste de aproximadamente 41,47% para os servidores do Judiciário da União. Conforme aprovado no Senado, o aumento será dado, de forma escalonada, em oito parcelas, de junho de 2016 a julho de 2019.

A gratificação judiciária, hoje correspondente a 90% do vencimento básico, chegará gradualmente a 140%, em janeiro de 2019.

Apenas em 2016 o impacto será de R$ 1,69 bilhão. Até 2019, a medida irá custar R$ 22,2 bilhões.

Os reajustes para servidores do MPU e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNPM) têm impacto menor sobre as contas.

O aumento custará R$ 334,9 milhões para os cofres públicos em 2016 e R$ 3,5 bilhões até 2019.

O projeto prevê reajuste de 12% no vencimento básico de analistas e técnicos do MPU, em oito parcelas, de forma escalonada, de junho de 2016 a julho de 2019.

Texto atualizado às 22h03

Acompanhe tudo sobre:MDB – Movimento Democrático BrasileiroMichel TemerPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileirosServidores públicosSupremo Tribunal Federal (STF)

Mais de Brasil

STF diz que foi afetado por apagão global, mas que principais serviços já foram restabelecidos

Governo diz que 'apagão cibernético' não afetou sistema Gov.br e outros sistemas

Entenda por que terremoto no Chile foi sentido em São Paulo

Mais na Exame