Brasil

Nunes e Tarcísio confirmam ex-chefe da Rota indicado por Bolsonaro como vice

Mello Araújo "venceu" a disputa interna no partido para ser o nome de Bolsonaro na chapa de Nunes

Tarcísio e Nunes: governador foi o porta-voz da frente ampla que apoia o atual prefeito (André Martins/Exame)

Tarcísio e Nunes: governador foi o porta-voz da frente ampla que apoia o atual prefeito (André Martins/Exame)

André Martins
André Martins

Repórter de Brasil e Economia

Publicado em 21 de junho de 2024 às 16h36.

Última atualização em 21 de junho de 2024 às 18h30.

Tudo sobreEleições 2024
Saiba mais

O prefeito de de São Paulo, Ricardo Nunes, e o governador do estado, Tarcísio de Freitas (Republicanos), confirmaram nesta sexta-feira, 21, que o coronel da reserva da Polícia Militar Ricardo Mello de Araújo, indicado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro e seu partido, o PL, será o vice na chapa que vai concorrer à reeleição na cidade.

“É um nome que agrega muita qualidade. Tem uma trajetória ilibada na política militar. Foi testado como gestor no Ceagesp e se saiu muito bem. Pegou uma empresa que vinha com déficit e dificuldade de pagar salário e recuperou a empresa financeiramente”, disse Tarcísio ao anunciar o nome.

Nunes disse que a escolha não foi imposta por nenhum partido, mas aconteceu de forma conjunta.

“Foi uma construção. Estou muito feliz e satisfeito. Todo mundo está unido neste projeto. Foi uma escolha democrática com todos os partidos da nossa frente ampla”, disse Nunes.

Nunes afirmou que Mello é corajoso, determinado e que é “radical contra o crime”, e é isso que ele quer em São Paulo. O prefeito disse ainda que vai convidar o seu pré-candidato à vice para começar a participar do plano de governo.

O anúncio foi realizado em agenda sobre a extensão da Linha 5-Lilás, na zona sul da cidade.

Mello Araújo "venceu" a disputa interna no partido para ser o nome de Bolsonaro na chapa de Nunes. O diretório municipal do PL tinha outros dois nomes, a vereadora Rute Costa, filha do pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da Assembleia de Deus em São Paulo, e a vereadora Sonaira Fernandes, que deixou o Republicanos a pedido de Bolsonaro para se filiar ao PL durante a janela partidária.

Na última quarta-feira, um jantar no Palácio dos Bandeirantes entre as siglas que apoiam Nunes selou que o vice seria indicado pelo PL.

O presidente da Câmara Municipal, Milton Leite, participou da agenda. O União Brasil, partido que tinha Kim Kataguiri como pré-candidato, decidiu apoiar Nunes após acordo para que um nome da sigla seja apoiado para a disputa da presidência da Câmara dos Vereadores no próximo ano.

LEIA MAIS:

Hoje, Nunes tem o apoio de 12 partidos: MDB, União Brasil, PL, PP, PSD, Republicanos, Solidariedade, Avante, PRD, Mobiliza e Podemos.

"Fator Marçal" força discussão sobre vice

A discussão em torno do vice de Nunes ganhou força nas últimas semanas após a entrada de Pablo Marçal (PRTB) na corrida eleitoral. O influenciador aparece com 10% nas pesquisas eleitorais e flerta por um apoio de eleitores ligados a Bolsonaro. Apesar das movimentações, Bolsonaro reiterou o apoio a Nunes, mas a pressão para que o vice fosse o pelo ex-presidente aumento.

À EXAME, aliados de Nunes afirmam que veem com reserva um nome ligado à segurança pública como vice na chapa.

O QG avalia que ter na composição de chapa um nome com essa bandeira irá trazer o ônus de uma discussão que não é de competência municipal direta para a campanha.

Acompanhe tudo sobre:Ricardo NunesEleições 2024Tarcísio Gomes de FreitasJair Bolsonaro

Mais de Brasil

Aos 78 anos, morre o ex-governador do Acre Romildo Magalhães

Morre o jornalista Sérgio Cabral, pai, aos 87 anos

Dunga, ex-técnico da Seleção Brasileira, e sua esposa sofrem acidente de carro no Paraná

PF apreende 12 milhões de maços de cigarros em São Paulo em maior operação na história

Mais na Exame