Brasil

Supremo recebe parte de investigação da Operação Zelotes

A Zelotes investiga a manipulação de julgamentos do Carf, estimando desvios de mais de R$ 19 bilhões


	STF: o processo sobre a Zelotes foi distribuído para a ministra Cármen Lúcia, que deverá decidir se a investigação será aberta
 (Dorivan Marinho/SCO/STF/Divulgação)

STF: o processo sobre a Zelotes foi distribuído para a ministra Cármen Lúcia, que deverá decidir se a investigação será aberta (Dorivan Marinho/SCO/STF/Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 21 de outubro de 2015 às 18h58.

Brasília - O Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu hoje (21) parte da investigação da Operação Zelotes, da Polícia Federal (PF), que cita o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes e o deputado federal Afonso Motta (PDT-RS), líder do partido na Câmara e ex-diretor do grupo de comunicação RBS.

A Zelotes investiga a manipulação de julgamentos do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), ligado ao Ministério da Fazenda. A PF estima que foram desviados mais de R$ 19 bilhões. 

Os detalhes da investigação não foram divulgados poque o processo está em segredo de Justiça.

O inquérito sobre a operação tramitava na Justiça Federal do Distrito Federal, mas foi remetido ao Supremo em função da citação de Nardes e Motta, que têm foro por prerrogativa de função e só podem ser julgados pela Corte.

O processo foi distribuído para a ministra Cármen Lúcia, que deverá decidir se a investigação será aberta.

A Operação Zelotes está na segunda fase das investigações. A primeira foi deflagrada  no dia 26 de março deste ano e descobriu um esquema de fraude no Carf, por meio do qual uma quadrilha, segundo a Polícia Federal, fazia um “levantamento” dos grandes processos no conselho, procurava empresas com altos débitos com o Fisco e oferecia "facilidades", como a anulação de multas. 

A segunda fase, em setembro, cumpriu mandados de busca e apreensão em escritórios de contabilidade no Distrito Federal, em São Paulo e no Rio Grande do Sul. 

A Agência Brasil entrou em contato com as assessorias do TCU e da liderança do PDT e aguarda retorno.

Acompanhe tudo sobre:CorrupçãoEscândalosFraudesJustiçaMinistério da FazendaOperação ZelotesSupremo Tribunal Federal (STF)TCU

Mais de Brasil

Governo e Senado pedem ao STF prorrogação de prazo de acordo sobre desoneração da folha

Lula diz que proposta de segurança do governo será elaborada com 27 governadores

Aeroporto de Porto Alegre será reaberto em outubro com 50 voos diários, diz ministro

Governo Lula é ruim ou péssimo para 44,2% e bom ou ótimo para 37,7%, aponta pesquisa Futura

Mais na Exame