STF dá 48h para Anvisa explicar o que falta para liberar a Sputnik V

Ministro Ricardo Lewandowski determinou que a agência esclareça os documentos que faltam para a importação da vacina
Sputnik V: no dia 26 de abril, a Anvisa rejeitou pedido de importação da Sputnik V feito por governos estaduais (Patricio Murphy/SOPA Images/Getty Images)
Sputnik V: no dia 26 de abril, a Anvisa rejeitou pedido de importação da Sputnik V feito por governos estaduais (Patricio Murphy/SOPA Images/Getty Images)
Por ReutersPublicado em 10/05/2021 17:53 | Última atualização em 10/05/2021 17:59Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu 48 horas de prazo para que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informe a relação de documentos faltantes para a análise definitiva do pedido de importação da vacina russa contra Covid-19 Sputnik V.

Lewandowski atendeu a um pedido apresentado pelo Estado do Maranhão. O governo maranhense alegou ao STF ter fornecido novos documentos à agência para embasar o pedido de importação, mas disse que o órgão regulador não teria feito uma nova análise.

"Preliminarmente, informe a Anvisa, em 48 horas, de maneira pormenorizada, quais os documentos faltantes para uma análise definitiva do pedido de autorização excepcional e temporária de importação e distribuição da vacina Sputnik V, subscrito pelo Estado do Maranhão", disse Lewandowski, em despacho nesta segunda-feira.

No dia 26 de abril, a Anvisa rejeitou pedido de importação da Sputnik V feito por governos estaduais alegando, na ocasião, falta de informações suficientes para garantir a segurança, a qualidade e a eficácia do imunizante.

  • Quer saber tudo sobre o ritmo da vacinação contra a covid-19 no Brasil e no Mundo? Assine a EXAME e fique por dentro.