Brasil

Sistema de metrô montado para Jogos é aprovado pelo público

"Parece coisa de primeiro mundo tudo isso. Estou me sentindo como dentro da Disneylândia", surpreendeu-se a funcionária pública Maria Campos


	Barra da Tijuca: "parece coisa de primeiro mundo tudo isso. Estou me sentindo como dentro da Disneylândia"
 (Google Maps/Reprodução)

Barra da Tijuca: "parece coisa de primeiro mundo tudo isso. Estou me sentindo como dentro da Disneylândia" (Google Maps/Reprodução)

DR

Da Redação

Publicado em 7 de agosto de 2016 às 16h27.

Rio de Janeiro - O sistema de metrô exclusivo para portadores de ingressos e credenciais dos Jogos do Rio de Janeiro, vem ganhando aprovação do público usuário, pelo curto tempo de deslocamento entre a estação General Osório, em Ipanema, primeira da nova linha 4, e o Parque Olímpico, na Barra da Tijuca.

"Parece coisa de primeiro mundo tudo isso. Estou me sentindo como dentro da Disneylândia", surpreendeu-se a funcionária pública Maria Campos, moradora do Leblon, na zona sul da capital fluminense, ao fazer a transferência para o sistema de BRT.

Na manhã deste domingo, a equipe da Agência Efe testou o serviço. A viagem durou cerca de uma hora e 30 minutos, entre Botafogo, na zona sul, até o Parque Olímpico. No trajeto, foi necessário fazer troca da linha 2 de metrô para a 4, na estação General Osório.

Ao chegar na estação Jardim Oceânico, a última da nova rota do sistema metroviário, os usuários acessaram o BRT, onde uma fila de mais de dez ônibus os esperavam, por volta de 11h (horário de Brasília). De lá, foram mais 20 minutos de viagem até o principal local de competições dos Jogos do Rio de Janeiro.

"Está tudo tão organizado, funcionando tão bem, que eu resolvi que irei trazer meu pai, de 83 anos, para acompanhar algum evento", contou o autônomo Alberto Silveira, que se dirigia com mulher e filhos para assistir a disputa da ginástica artística feminina.

Nas estações de General Osório, onde é feita a transferência de linhas e Joardim Ocêanico, há elevadores para portadores de necessidades especiais, grávidas e idosos. Além disso, na estação Transolímpica de BRT, que fica a cerca de 500 metros dos portões do Parque, há um ônibus para levar gratuitamente esse público aos Jogos.

O sistema de metrô e BRT é limitado ao público que tem ingressos para competições naquele dia ou está credenciado para trabalhar no evento poliesportivo. Todos precisam ter o cartão Rio Card Jogos Olímpicos, que é vendido pela internet "www.riocard.com/jogosrio2016", ou fisicamente, nas estações da cidade.

A venda dos cartões nas estações, contudo, representa o único ponto de crítica que a Agência Efe constatou. Usuários apontaram demora na compra devido ao pequeno número de máquinas que fazem o serviço, além de funcionários não habilitados para responder dúvidas de estrangeiros.

Acompanhe tudo sobre:cidades-brasileirasMetrópoles globaisOlimpíada 2016OlimpíadasRio de Janeiro

Mais de Brasil

Em SC, chuvas elevam rio que corta Blumenau em 6 metros e município entra em estado de alerta

Governo federal vai transferir recursos para reforma de escolas no RS

Após receber novas doses, SP vai retomar a vacinação contra dengue neste sábado

Boulos quer câmeras corporais em agentes da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo

Mais na Exame