• AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
  • AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
Abra sua conta no BTG

PSOL vai ao STF contra liberação automática de agrotóxicos

Na última semana, o Ministério da Agricultura determinou a aprovação de agrotóxicos que não forem analisados em até 60 dias
Agrotóxicos: além do PSOL, a Rede também entrou com um pedido no STF (Reuters/Paulo Whitaker)
Agrotóxicos: além do PSOL, a Rede também entrou com um pedido no STF (Reuters/Paulo Whitaker)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 10/03/2020 13:56 | Última atualização em 10/03/2020 13:56Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A bancada do PSOL apresentou nesta terça-feira um projeto de decreto legislativo para derrubar a portaria publicada na semana passada pelo Ministério da Agricultura que determinou a aprovação tácita de agrotóxicos pela Secretaria de Defesa Agropecuária se os produtos não forem analisados em até 60 dias.

O partido justifica que a "aprovação massiva de novos agrotóxicos coloca em risco a vida de milhões de brasileiros e o meio ambiente" e lembra que em 2019 o governo aprovou 503 novos produtos, sendo que 32% deles foram considerados como altamente ou extremamente tóxicos.

Como mostrou a Reuters, o texto da Agricultura, que passa a valer a partir de 1º de abril, trata de prazos para “aprovação tácita” de vários atos que são de responsabilidade da secretaria —ou seja, a partir de que período, quando o pedido não é analisado, ele passa a ser aprovado automaticamente. No caso dos agrotóxicos, 60 dias.

De acordo com o ministério, a portaria agiliza processos, mas não há riscos de um produto ser aprovado sem ainda a análise de impacto pelos Ministérios do Meio Ambiente e da Saúde.

Ainda assim, especialistas vêem riscos nesse processo. A avaliação é de que há uma ascendência do Ministério da Agricultura sobre os demais, o que desloca o eixo de interesse para a produção e não para a saúde ou o Meio Ambiente.

O PDL, que precisa ser aprovado por maioria simples, pode derrubar a portaria publicada pelo ministério.