PM reforça policiamento no entorno da Reduc, no Rio de Janeiro

Grupos radicais aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro, que se intitulam "patriotas", e vandalizaram prédios públicos em Brasília, convocaram manifestação na refinaria

Esferas de armazenamento de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) da Refinaria Duque de Caxias - REDUC (André Motta de Souza/Agência Petrobras/Reprodução)

Esferas de armazenamento de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) da Refinaria Duque de Caxias - REDUC (André Motta de Souza/Agência Petrobras/Reprodução)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 8 de janeiro de 2023 às 20h03.

Última atualização em 8 de janeiro de 2023 às 20h55.

A Polícia Militar do Rio de Janeiro informou que o comando do 15º BPM, em Duque de Caxias, reforçou o policiamento na região da Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), com o apoio do BPChoque. "A Polícia Militar está atenta a todo tipo de movimentação, incluindo a região central da cidade do Rio e arredores, bem como nas principais vias de acesso à região", disse a Polícia Militar em nota.

Neste domingo, grupos radicais aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro, que se auto intitulam "patriotas", e vandalizaram prédios públicos em Brasília, convocaram uma manifestação na refinaria da Petrobras para as 2 horas da madrugada de segunda-feira, 9.

O objetivo é impedir a distribuição de combustíveis para a população.

Até o momento, a estatal não informou as providências que está tomando para proteger a unidade, se limitando a dizer que "todas as refinarias estão funcionando normalmente".

Jean Paul Prates alerta para risco de ataques a refinarias

Indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a presidência da Petrobras, o senador Jean Paulo Prates alertou para o risco de ataques a refinarias da petroleira. Segundo ele, por causa da "grande quantidade de postagens que circulam hoje convocando e mobilizando movimentos na madrugada junto às REFINARIAS da Petrobras", entrou em contato com o "atual presidente interino em exercício, diretor de Desenvolvimento da Produção, João Henrique Rittershaussen".

"O presidente em exercício da Petrobras informou que as equipes de segurança foram acionadas, bem como a segurança pública, e que as equipes da empresa reavaliando a situação a cada momento. Preocupação com Reduc, Replan, Revap, Refap, que estão nas postagens de convocação", escreveu Prates em seu Twitter.

Prates também afirmou estar em contato direto com o ministro da Justiça, Flávio Dino, e com governadores de alguns dos estados que "poderiam ser afetados por movimentações indevidas em refinarias e terminais, por parte de terroristas e vândalos na sequência dos eventos de Brasília".

LEIA A COBERTURA COMPLETA DA EXAME SOBRE OS ATAQUES EM BRASÍLIA

Mais de Brasil

Conflitos por terra batem recorde no Brasil no primeiro ano do governo Lula

Cármen Lúcia mantém condenação de Deltan por Power Point contra Lula

Risco fiscal está 'drenando oportunidades' do Brasil, diz Tarcísio

Fluxo de passageiros para o exterior cresce pelo 24º mês seguido mostra Anac

Mais na Exame