Pedido do governo, consulta pública sobre vacina a crianças começa amanhã

A vacina da Pfizer contra covid-19 para crianças a partir de 5 anos foi autorizada pela Anvisa, mas governo federal defende que tema deve primeiro passar por consulta pública
Crianças: Ministério da Saúde abrirá consulta pública sobre vacinação de 5 a 11 anos (Wilson Dias/Agência Brasil)
Crianças: Ministério da Saúde abrirá consulta pública sobre vacinação de 5 a 11 anos (Wilson Dias/Agência Brasil)
Por Da redação, com agênciasPublicado em 22/12/2021 13:05 | Última atualização em 22/12/2021 13:15Tempo de Leitura: 4 min de leitura

O Ministério da Saúde oficializou nesta quarta-feira, 22, a consulta pública que pedirá a opinião dos brasileiros sobre a vacinação contra a covid-19 em crianças com idade de 5 a 11 anos. A consulta vai de amanhã, quinta-feira, 23, até o dia 2 de janeiro.

A vacina da Pfizer para essa faixa etária foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas a consulta pública surge em meio às críticas do governo federal à decisão da agência.

Como a política impacta os investimentos? Aprenda a investir na EXAME Academy

As contribuições na consulta pública devem ser enviadas, a partir de amanhã, por meio de uma página a ser aberta no site do Ministério da Saúde (clique aqui). O governo tem até o dia 5 de janeiro para responder o Supremo Tribunal Federal sobre o caso.

Com os imbróglios, a vacinação de crianças entre 5 e 11 anos segue sem prazo definido, apesar da liberação. Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a aprovação, afirmando que a decisão da Anvisa era "inacreditável".

Após a aprovação por parte da Anvisa, diretores e servidores da agência passaram a receber ameaças de morte, e a instituição pediu investigações e proteção policial para os servidores ameaçados.

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, havia dado dois dias para que o governo se manifestasse sobre a data de vacinação das crianças. Depois, ampliou o prazo, e estabeleceu limite até o dia 5 de janeiro para que o Ministério da Saúde apresente um cronograma.

Pfizer: Menino de 9 anos é vacinado contra a covid-19 em Madri, na Espanha

Pfizer: Menino de 9 anos é vacinado contra a covid-19 em Madri, na Espanha (Susana Vera/Reuters)

Vacinação de crianças no mundo

Países como Estados Unidos, membros da União Europeia, Canadá e outros vacinam desde novembro crianças a partir dos 5 anos. Também nesta quarta-feira, a agência reguladora do Reino Unido aprovou a vacina da Pfizer para crianças entre 5 e 11 anos.

No Chile, foi autorizada para crianças a partir de 3 anos a dose da Coronavac, vacina da Sinovac (e que no Brasil é fabricada em parceria com o Instituto Butantan). A Anvisa também analisa a possibilidade de autorizar a Coronavac para crianças, mas o caso segue em análise e a reguladora solicitou nesta semana mais informações ao Butantan.

Decisão será tomada após consulta pública, diz Queiroga

No último dia 18, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que a decisão do governo sobre a vacinação de crianças de 5 a 11 anos será tomada no dia 5 de janeiro, após audiência e consulta públicas.

Em conversa com jornalistas, Queiroga disse que a autorização da Anvisa não é decisão suficiente para viabilizar a vacinação para esse grupo.

“A introdução desse produto dentro de uma política pública requer uma análise mais aprofundada. E, no caso de imunizantes, a análise técnica é feita com o apoio da Câmara Técnica Assessora de Imunizações”, disse Queiroga.

A incerteza do governo sobre a medida tem gerado críticas entre cientistas. Também nesta semana, a Fundação Oswaldo Cruz publicou estudo afirmando que a vacinação de crianças será crucial para que o Brasil atinja imunidade coletiva.

O país chegou a 66% da população vacinada completamente contra a covid-19, mas o avanço da variante Ômicron preocupa.

(Com Agência Brasil)

Fique por dentro das principais notícias sobre os impactos da pandemia na economia e nos negócios. Assine a EXAME.