Operários fazem greve em estádio de Salvador para Copa

Trabalhadores reclamam de descontos nos pagamentos e dizem que o consórcio responsável pela obra não cumpriu os acordos

Salvador - Os operários das obras da Arena Fonte Nova, estádio de Salvador que receberá os jogos da Copa do Mundo de 2014 na cidade, interromperam a construção, na manhã de desta quarta-feira, para reivindicar o cumprimento de acordos feitos entre os trabalhadores e o Consórcio Arena Salvador. A paralisação também serviu como forma de protesto contra cortes feitos nos salários.

De acordo com o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Pesada e Montagem Industrial da Bahia (Sintepav-BA), Paulo Roberto dos Santos, o estopim para a manifestação foi a constatação, por parte de alguns funcionários, de que havia descontos não justificados, referentes a dias não trabalhados no mês anterior - eles alegam ter cumprido a jornadas de trabalho normalmente. "A situação criou um mal-estar grande, no dia seguinte ao recebimento dos salários, por isso resolvemos parar", disse Santos.

Parte dos cerca dos 2 mil operários que trabalham na obra promoveram uma manifestação durante a manhã desta quarta na frente do futuro estádio, no Dique do Tororó, interrompendo o fluxo de veículos na região. O protesto causou engarrafamentos por toda a cidade, em especial na região central de Salvador.

Segundo o presidente do Sintepav, Adalberto Galvão, a paralisação também ocorre por outras reivindicações, como o suposto não cumprimento, por parte da empresa, do descanso remunerado aos funcionários e do pagamento de horas extras. Também haveria reclamações sobre casos de assédio moral contra os operários.

Em nota distribuída no início da tarde, o Consórcio Arena Salvador alegou que sua direção "ainda não foi informada sobre as reivindicações que motivaram a manifestação e aguarda comunicação oficial através do Sintepav". O texto também diz que a empresa "reafirma o compromisso de respeito aos direitos dos seus colaboradores, permanecendo aberta ao diálogo".

O sindicato já agendou para a manhã desta quinta-feira uma assembleia com os operários. No encontro, as duas partes irão discutir a possibilidade de manutenção da paralisação das obras na Arena Fonte Nova.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.