Número de divórcios cai pela 1ª primeira vez desde 2010

Dos casais divorciados em 2012, 36,8% não tinham filhos, 20,3% tinham filhos maiores de idade e 37% tinham filhos menores de idade

Rio de Janeiro - O número de divórcios registrados no Brasil em 2012 foi de 341.600, número 1,4% inferior ao de 2011, quando foram contabilizados 351.153, segundo dados do cartório civil divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O número de divórcios caiu ligeiramente em relação ao ano anterior, depois do aumento de 45,6% registrado em 2011, mas continua acima do nível observado antes de 2010, quando a nova legislação brasileira reduziu os prazos legais para a concessão da dissolução legal do casamento, legalizado desde 1977.

Antes, os casais precisavam estar casados por no mínimo um ano para pedir ao divórcio. Segundo as estatísticas divulgadas pelo IBGE, a taxa de divórcios em 2012 caiu de 2,6 para cada mil habitantes com mais de 15 anos em 2011, para 2,5 por mil em 2012.

"Em cada época em que houve ocorreu uma alteração na legislação sobre divórcios houve uma elevação nas taxas de divórcio", afirma o IBGE, que aponta que o tempo médio de duração dos casamentos passou de 17 anos em 2007 a 15 anos em 2012.

Segundo dados do cartório Civil, as maiores taxas de divórcios em 2012 aconteceram entre as pessoas na faixa de idade de entre 30 e 49 anos.

Dos casais divorciados em 2012, 36,8% não tinham filhos, 20,3% tinham filhos maiores de idade e 37% tinham filhos menores de idade.

Dez anos antes, por outro lado, 26,5% dos divórcios eram de casais sem filhos, o 15,1% com filhos maiores de idade, e o 50,2% com filhos menores de idade.

O relatório também aponta que em 2012 mais brasileiros se casaram, mas as relações duraram menos tempo.

Estável em relação a 2011, o número de uniões matrimoniais para cada mil habitantes passou de 5,6 em 2002 para 6,9 em 2012. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.