Nações Unidas pede fronteiras abertas para refugiados sírios

A crise na Síria tem 28 meses e já matou mais de 90 mil pessoas, segundo organizações não governamentais

Brasília – O alto comissário das Nações Unidas para Refugiados, António Guterres, pediu hoje (22) que os países não limitem o acesso de refugiados sírios às fronteiras vizinhas. "Reitero o meu apelo a todos os Estados, na região e mais longe, de manter as fronteiras abertas e receber todos os sírios que buscam proteção", disse Guterres.

A crise na Síria tem 28 meses e já matou mais de 90 mil pessoas, segundo organizações não governamentais. Os confrontos eclodiram em meio às cobranças da oposição para o presidente sírio, Bashar Al Assad, deixar o poder. Assad se nega a renunciar.

Guterres disse que o esquema de segurança na região está cada vez mais impedido a passagem dos sírios nas áreas fronteiriças. Cerca de 1,8 milhão de refugiados sírios partiram, nos últimos dois anos, para o Líbano, a Jordânia, a Turquia, o Iraque e o Egito.

De acordo com os dados das Nações Unidas, os países com maior número de refugiados sírios são o Iraque, com mais de 160 mil, e o Egito, com cerca de 90 mil. O alto comissário apelou ainda para que as instituições financeiras internacionais e as agências de desenvolvimento nacionais e regionais cooperem nos projetos de apoio aos refugiados.

"O que eu estou pedindo hoje é essencial para mitigar o risco de uma explosão que poderia envolver todo o Oriente Médio. Mas só uma solução política para a Síria, e um fim à luta, pode parar totalmente este risco", disse Guterres.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.