Moro desiste de candidatura à Presidência

Ex-ministro foi apresentado como pré-candidato presidencial, mas enfrentou resistências no Podemos
 (Bloomberg / Colaborador/Getty Images)
(Bloomberg / Colaborador/Getty Images)
A
Alessandra Azevedo

Publicado em 31/03/2022 às 16:06.

Última atualização em 31/03/2022 às 16:39.

O ex-juiz Sergio Moro deixou o Podemos, partido ao qual havia ingressado em novembro de 2021, e resolveu se filiar ao União Brasil nesta quinta-feira, 31. Nesta tarde, Moro anunciou que desistiu de ser candidato à Presidência da República

Quer saber tudo sobre a corrida eleitoral? Assine a EXAME por menos de R$ 0,37/dia e fique por dentro.

"Para ingressar no novo partido, abro mão, nesse momento, da pré-candidatura presidencial e serei um soldado da democracia para recuperar o sonho de um Brasil melhor", disse Moro, em nota oficial. Segundo ele, a troca de legenda foi comunicada à direção do Podemos.

O ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro assinou a filiação ao União Brasil nesta quinta, em um hotel de São Paulo. Ele ainda não anunciou a que cargo pretende concorrer pelo partido. O mais provável é que tente uma vaga na Câmara dos Deputados ou no Senado Federal.

Moro confirmou a decisão em post no Instagram. Veja abaixo a íntegra:

O deputado Alexandre Leite, secretário-executivo do União em São Paulo, disse que Moro concorrerá a uma cadeira de deputado federal. "Moro vem para o União com a expectativa de ser um dos deputados mais votados da história", disse Leite, em nota.

Moro se encontrou com o presidente nacional do União Brasil, Luciano Bivar, na segunda-feira, 28. Os dois conversaram sobre a possibilidade de união da terceira via para fazer frente às candidaturas de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL). O União Brasil foi criado em outubro de 2021, a partir da fusão do DEM  do PSL.

Durante os quatro meses em que esteve no Podemos, Moro não conseguiu deslanchar nas pesquisas. A pesquisa EXAME/IDEIA mais recente, divulgada em 24 de março, mostra o ex-juiz com 9% das intenções de voto para presidente. 

A sondagem ouviu 1.500 pessoas entre os dias 18 e 23 de março. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares. 

A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-04244/2022. A pesquisa EXAME/IDEIA é um projeto que une EXAME e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública.