Ministro do STJ manda soltar ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho

O político havia sido preso na quinta-feira (19), durante uma sub-fase da Operação Calvário, chamada de Juízo Final

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Napoleão Nunes Maia Filho determinou que Ricardo Coutinho, ex-governador da Paraíba, seja libertado imediatamente. A decisão foi homologada na tarde deste sábado (21). Coutinho é investigado por corrupção, lavagem de dinheiro e fraude a licitações públicas.

O político havia sido preso na quinta-feira (19), durante uma sub-fase da Operação Calvário, chamada de Juízo Final. A operação investiga o desvio de R$ 134,2 milhões em verbas públicas de saúde.

O irmão de Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho, acusado de ser o receptor das propinas e integrante da quadrilha que realizava os desvios, também cumpre prisão preventiva desde ontem (20), em ordem expedida pela juíza Laurita Vaz, do STJ.

A liminar que determina a soltura do ex-governador da Penitenciária de Mangabeira, em João Pessoa (PB), foi expedida após a publicação de um parecer da Procuradoria-Geral da República, que pedia a manutenção da prisão preventiva de Coutinho. Segundo o argumento da PGR, Ricardo Coutinho tem atuação "fortíssima" no comando da quadrilha, e continua na liderança do grupo.

* Com informações do STJ

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.