• AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
  • AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
Abra sua conta no BTG

Ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho é preso ao desembarcar no país

Mandado de prisão foi expedido na terça-feira, mas Coutinho estava em viagem à Europa
Ricardo Coutinho: ex-governador deve passar audiência de custódia nesta sexta-feira, em João Pessoa. (Agência Brasil/Elza Fiúza/AGÊNCIA BRASIL)
Ricardo Coutinho: ex-governador deve passar audiência de custódia nesta sexta-feira, em João Pessoa. (Agência Brasil/Elza Fiúza/AGÊNCIA BRASIL)
Por Agência O GloboPublicado em 20/12/2019 09:06 | Última atualização em 20/12/2019 09:07Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Rio de Janeiro — O ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB) foi preso no fim da noite desta quinta-feira ao retornar de viagem à Europa. Coutinho foi detido após desembarcar no Aeroporto Internacional de Natal, no Rio Grande do Norte. O ex-governador é um dos alvos da Operação Calvário, que investiga desvios de R$ 134,2 milhões na saúde e educação da Paraíba.

O mandado de prisão contra o ex-governador foi expedido na terça-feira. Coutinho é apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como o chefe da organização acusada de desviar dinheiro público. A PF, o MPF e a Controladoria-Geral da União (CGU) apuram o desvio de R$ 134,2 milhões, dos quais R$ 120 milhões teriam sido destinados a políticos e às campanhas eleitorais de 2010, 2014 e 2018.

A defesa do ex-governador chegou a entrar com um pedido de habeas corpus ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), antes da volta dele ao país, para tentar evitar a prisão. O ex-governador deve passar audiência de custódia nesta sexta-feira, em João Pessoa.

A PF investiga o desvio de recursos públicos destinados à saúde por meio de fraudes em licitações e em concurso público, corrupção e irregularidades no financiamento de campanhas e o superfaturamento em equipamentos, serviços e medicamentos.

De acordo com as investigações da PF, organizações sociais criaram uma rede de prestadores de serviços terceirizados e de fornecedores com a celebração de contratos superfaturados na gestão dos Hospitais de Trauma, de Mamanguape, e o Metropolitano, em Santa Rita.

O atual governador João Azevêdo (Sem partido) também foi alvo de mandados de busca e apreensão. Treze pessoas foram presas, sendo nove na Paraíba, duas no Rio Grande do Norte, uma no Rio de Janeiro e uma no Paraná no âmbito da Operação Calvário.