Ministro da CGU chama senadora de “descontrolada” e gera bate-boca na CPI

Sessão foi suspensa e ministro da CGU, Wagner Rosário, passou a ser investigado pela comissão
 (Leopoldo Silva/Agência Senado/Flickr)
(Leopoldo Silva/Agência Senado/Flickr)
A
Alessandra Azevedo

Publicado em 21/09/2021 às 17:07.

Última atualização em 21/09/2021 às 17:08.

Durante depoimento na CPI da Covid, nesta terça-feira, 21, o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, chamou a senadora Simone Tebet (MDB-MS) de “descontrolada”, após ela expor erros na documentação para aquisição de vacinas que não teriam sido analisados pela CGU, mas descobertos pela imprensa.

Rosário respondeu que Tebet falou inverdades e afirmou que ela estava “totalmente descontrolada”, o que gerou reações dos senadores presentes. Muitos foram até a mesa da presidência protestar e apontaram machismo na fala do ministro.

“Pau mandado descarado. Moleque. Moleque de recados. Respeite a senadora Simone Tebet, seu moleque”, disse Otto Alencar (PSD-BA).

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) tentou defender Rosário, mas a senadora Leila de Barros fez uma intervenção no microfone. “Só as mulheres são descontroladas. Vocês dão show todo dia aqui. Menos, Marcos Rogério", disse.

O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), suspendeu a sessão. Ao reabri-la, minutos depois, ele sugeriu ao relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), que incluísse Rosário na lista de investigados da CPI. Renan acolheu o pedido, e o ministro passou de testemunha a investigado.

  • Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME