Lula ressalta crescentes oportunidades na América Latina

Ex-presidente lembrou que continente atravessa "uma fase histórica e promissora"

Londres - O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva ressaltou nesta quinta-feira em Londres as "crescentes oportunidades de investimento" presentes na América Latina e destacou a importância de seu país reforçar os "laços econômicos, culturais e políticos" com outros países sul-americanos.

Em conferência em Londres, Lula analisou as oportunidades de investimentos presentes nos países da América Latina e, em particular, Brasil, no atual contexto de crise econômica mundial.

Lembrou que a América do Sul atravessa "uma fase histórica e promissora", com amplas perspectivas para avançar "dentro de um processo de desenvolvimento econômico, com justiça social e bem-estar".

Lula destacou as "crescentes oportunidades de investimento" da região, "que cresce com grande rapidez com infraestruturas integradas de transporte, energia e telecomunicações".

"América Latina vê a si mesma como um ponto importante de dinamismo no meio da crise mais severa da história e, ao mesmo tempo, alcançamos um nível de maturidade política que permitiu avançar na consolidação da democracia e na estabilidade institucional de nossa sociedade".


Enquanto os chamados países desenvolvidos enfrentam um baixo crescimento econômico e padecem de altas taxas de desemprego, os países latino-americanos, por outro lado, "alcançaram no final de 2010 um alto crescimento do Produto Interno Bruto (PIB)".

No caso do Brasil, Lula disse que esse país "está projetando uma imagem de grande respeito no exterior, de país com uma democracia consolidada, que vive em paz com seus moradores, com economia vigorosa e equilibrada, capaz de promover o crescimento econômico e, por sua vez, fomentar a inclusão social".

Lembrou que esses fatores contribuíram para que o Brasil fosse eleito sede da Copa do Mundo de 2014 e organizador dos Jogos Olímpicos em 2016.

A organização desses e outros eventos exigem investimentos no valor de US$ 50 bilhões.

Lula ressaltou a importância dos investimentos do Brasil em outros países da América do Sul e afirmou que o país não pode evitar sua obrigação de "reforçar os laços econômicos, culturais e políticos com a América do Sul", ao fazer fronteira com dez dos 12 estados da região.

Lula, que entregou a Presidência a Dilma Rousseff em 1º de janeiro, após oito anos no cargo, garantiu que a presidente do país "continuará pelo caminho do desenvolvimento".

"Brasil é um país responsável. Não vamos desperdiçar as oportunidades de transformar-nos em uma das economias mais importantes do mundo na próxima década", declarou.

Após seu comparecimento na capital britânica, está previsto que Lula vá a Cádiz (sul da Espanha) para receber o 3º Prêmio Liberdade Cortes, concedido pela Prefeitura por "seu trabalho constante contra a pobreza e a exclusão social e seu esforço para estender essas práticas de paz e justiça a toda região ibero-americana".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.