Lira diz que população elegeu Congresso para continuidade do atual governo

Os brasileiros, na visão dele, "deixaram uma mensagem muito forte" nas urnas no primeiro turno
Em ato de campanha no Palácio da Alvorada, o deputado, que foi o mais votado de Alagoas nesta eleição, afirmou que o Parlamento brasileiro é de centro-direita (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Em ato de campanha no Palácio da Alvorada, o deputado, que foi o mais votado de Alagoas nesta eleição, afirmou que o Parlamento brasileiro é de centro-direita (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 06/10/2022 às 15:06.

Aliado de Jair Bolsonaro (PL), o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse nesta quinta-feira, 6, que a população elegeu o Congresso para a continuidade do atual governo.

Em ato de campanha no Palácio da Alvorada, o deputado, que foi o mais votado de Alagoas nesta eleição, afirmou que o Parlamento brasileiro é de centro-direita, reformador e conservador.

Os brasileiros, na visão dele, "deixaram uma mensagem muito forte" nas urnas no primeiro turno.

"Eu queria parabenizar o povo brasileiro no exercício da democracia no último dia 2. As escolhas que o Brasil fez deixaram uma mensagem muito forte para todos os brasileiros. A tendência do encaminhamento que a população quer para os próximos quatro anos", disse Lira. "Um Congresso de centro-direita, um Congresso reformador, um Congresso conservador, dando um norte para um caminho que já está asfaltado. Esse Congresso foi eleito para a continuidade do governo Bolsonaro", emendou.

Fique por dentro de tudo sobre as Eleições 2022 e os resultados das pesquisas eleitorais. Clique aqui e receba gratuitamente a newsletter EXAME Desperta.

Bolsonaro reuniu no Alvorada hoje deputados e governadores que o apoiam. Desde o começo da semana, o chefe do Executivo tem se encontrado na residência oficial com políticos que endossam sua candidatura à reeleição no segundo turno da disputa pelo Palácio do Planalto contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Deputadas e senadoras bolsonaristas montaram hoje um "comitê de mulheres" para impulsionar a candidatura do chefe do Executivo. O objetivo das parlamentares é virar votos em seus Estados a favor de Bolsonaro, que enfrenta alta rejeição no eleitorado feminino.

O presidente recebeu hoje o apoio dos governadores de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), de Roraima, Antonio Denarium (PP) do Acre, Gladson Cameli (PP), de Rondônia, Marcos Rocha (União Brasil), do Amazonas, Wilson Lima (União Brasil), e de Mato Grosso, Mauro Mendes (União Brasil).

Nesta quarta-feira, 5, o chefe do Executivo recebeu o apoio dos governadores reeleitos do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e do Paraná, Ratinho Junior (PSD), além de integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) do Congresso, chamada de bancada ruralista.

No dia anterior, Bolsonaro recebeu no Alvorada os governadores reeleitos de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), e do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), além do governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), que ficou de fora do segundo turno da eleição no Estado.

LEIA TAMBÉM:

União Brasil libera filiados para apoio a Bolsonaro ou Lula

Centrão mantém domínio político na Câmara e será desafio de futuro governo