Brasil

Infraero renova frota de carros de combate a incêndio

Companhia investiu R$ 141 milhões em 80 novos carros para combate a incêndio


	Símbolo da Infraero é visto em aeroporto: novos carros carregam até 11 mil litros de água - o dobro dos carros anteriores 
 (Marcos Santos/USP Imagens)

Símbolo da Infraero é visto em aeroporto: novos carros carregam até 11 mil litros de água - o dobro dos carros anteriores  (Marcos Santos/USP Imagens)

DR

Da Redação

Publicado em 24 de abril de 2014 às 19h18.

Brasília - A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) investiu R$ 141 milhões em 80 novos carros para combate a incêndio. Os novos carros carregam até 11 mil litros de água - o dobro dos carros anteriores -, além de espuma, pó químico e contam com painéis de controle operacional de LCD. Eles contam com canhão de teto com capacidade de vazão de 3,8 mil litros de água/espuma por minuto. A rede da Infraero conta, atualmente, com 63 aeroportos.

A empresa explica que os novos carros foram desenvolvidos para operar em grandes aeroportos, levando em consideração o porte e o tipo de aeronaves que operam nesses terminais. Os novos veículos de combate a incêndios chegam de zero a 80 quilômetros por hora em 34 segundos, com velocidade máxima de 113 quilômetros por hora. Para operar esses novos "Carros Contra Incêndio" (CCIs), os bombeiros serão treinados pela Infraero e pela Iveco Magirus, fabricante das unidades.

Os aeroportos de Salvador (BA), Pampulha (MG), Curitiba (PR), Santos Dumont (RJ) e Recife (PE) já encerraram o treinamento e estão aptos para começar a usar os novos carros. Já os aeroportos de Fortaleza (CE), Belém (PA) e Manaus (AM) devem receber os novos veículos contra incêndio até o final do mês e realizar o treinamento dos bombeiros logo em seguida. Os carros antigos de combate a incêndios serão remanejados para outros aeroportos da Infraero.

Acompanhe tudo sobre:Aeroporto de BrasíliaAeroportosAeroportos do BrasilAviaçãoBrasíliaEmpresas estataisEstatais brasileirasIncêndiosInfraeroseguranca-digitalServiçosTransportestransportes-no-brasil

Mais de Brasil

Como é feito o cálculo do FGTS?

Operação-padrão da Abin não afetará concurso unificado, diz ministério

Estiagem leva o Acre a decretar emergência ambiental

Mais na Exame