Impeachment na Coreia; polêmica das bagagens…

A polêmica das bagagens

A polêmica cobrança por bagagens ganhou um novo capítulo nesta quinta-feira. O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo entrou na Justiça contra a medida da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que autoriza a cobrança por bagagens despachadas em viagens aéreas. Uma perícia realizada pelo MPF concluiu que o objetivo das novas regras é ampliar o lucro das companhias, que, segundo o órgão, reduzirão a qualidade dos serviços de menor custo, já embutidos no valor das passagens, e aperfeiçoarão os pacotes mais caros para estimular os consumidores a comprá-los. Para o MPF, a nova norma contraria o Código Civil, que garante a inclusão da bagagem despachada no valor da passagem, e o Código de Defesa do Consumidor, que veda a venda casada e a cobrança de taxas excessivas.

Mulheres e Temer

Michel Temer foi às redes sociais se redimir após a polêmica causada pelo discurso no Dia Internacional da Mulher. Ontem, ao tentar exaltar a participação da mulher na sociedade, disse que elas são fundamentais na criação dos filhos e experts em economia por saber a flutuação de preços no supermercado. Disse o presidente no Twitter: “Estamos na Semana da Mulher. Meu governo fará de tudo para que mulheres ocupem cada vez mais espaço na sociedade. Que as mulheres tenham direitos iguais em casa e no trabalho. Não vamos tolerar preconceito e violência contra a mulher”. Em agenda positiva, o peemedebista foi a Blumenau para conferir à cidade o título de Capital Nacional da Cerveja, para onde prometeu voltar em outubro para a Oktoberfest. “Em face do convite feito pela rainha e pelas princesas [do evento], vou tomar pelo menos umas três canecas.”

Rodrigo Maia na mira

A associação de juízes do trabalho divulgou nota nesta quinta-feira em repúdio às declarações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que ontem defendeu mudanças na legislação trabalhista e sugeriu que a Justiça do Trabalho “não deveria nem existir”. O texto diz que os juízes têm “a importante missão de equilibrar as relações entre o capital e o trabalho, fomentando a segurança jurídica ao garantir a correta aplicação do direito”. Discordam também de falas de parlamentares que categorizam a reforma trabalhista em tramitação na Casa como “tímida”. A entidade indica ainda que 11,75% das novas ações judiciais de 2015 foram diretamente para a Justiça do Trabalho, aliviando os demais tribunais.

Mudanças no Enem

O Ministério da Educação anunciou nesta quinta-feira mudanças na realização do próximo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As duas provas serão realizadas em dois domingos seguidos, em vez de apenas num fim de semana, não serão mais divulgados dados consolidados de nota média por escolas e a aprovação não valerá como certificado de conclusão do Ensino Médio. A alteração do esquema de datas do Enem foi decidida após a realização da consulta pública entre janeiro e fevereiro deste ano. Sobre o ranking, o ministro Mendonça Filho disse que os dados são utilizados como “propaganda” e essa “não é a missão do Estado brasileiro”.

Novo sócio na XP?

Os acionistas da XP Investimentos estão conversando com investidores que demonstraram interesse em comprar uma participação na corretora antes de sua abertura de capital (IPO). As informações são do site Brazil Journal, do jornalista Geraldo Samor. Segundo reportagem, o preço da transação ajudaria a balizar o valor de mercado que a XP vai buscar em seu IPO. Por enquanto, a ambição é realizar uma oferta de ações que avalie a XP entre 12 bilhões e 15 bilhões de reais. A reportagem informa que depois que formalizou seu plano de IPO, a XP e seu maior acionista individual, a General Atlantic (GA), foram procurados por alguns fundos soberanos e family offices interessados num investimento de longo prazo na empresa.

Assange: ajudinha para a Apple

O fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, ofereceu compartilhar com empresas de tecnologia as informações que possui sobre as ferramentas de hackeamento da CIA, agência de inteligência americana. De posse desses dados, as empresas que tiveram seus sistemas invadidos — como a Apple, a Microsoft e a Samsung — poderiam consertar as falhas. Na terça-feira, o WikiLeaks publicou mais de 8.000 documentos que detalham como a agência americana invadiu sistemas de smartphones e outros eletrônicos para interceptar mensagens e espionar usuários. Em pronunciamento ao vivo no Facebook, Assange diz que as informações sobre como hackear dispositivos não foram publicadas, mas criticou a CIA porque a agência “perdeu o controle de todo o seu arsenal de armas cibernéticas”, que, assim como foram conseguidas pelo WikiLeaks, poderiam ser obtidas por hackers e criminosos.

Putin e Netanyahu: sem Irã 

Em visita a Moscou, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, advertiu o presidente russo, Vladimir Putin, de que Israel se opõe à permanência do Irã na Síria após o fim da guerra civil no país, por temer que grupos islâmicos assumam o poder. Netanyahu afirmou que o Irã quer “aniquilar o Estado judeu”. A Rússia é a principal aliada do presidente sírio, Bashar al-Assad, e deve comandar o processo de reestruturação do país após o fim da guerra. Esse foi o quarto encontro entre Putin e Netanyahu no último ano e meio. No fim desta quinta-feira, Putin também recebeu o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, para uma visita de dois dias — os líderes devem falar à imprensa na sexta.

Impeachment na Coreia

A Corte Constitucional da Coreia do Sul aprovou por unanimidade o impeachment da presidente Park Geun-hye por envolvimento em um escândalo de tráfico de influência. Park se torna, assim, a primeira líder eleita no país a ser afastada do cargo. Uma eleição será realizada em 60 dias e, até lá, o primeiro-ministro Hwang Kyo-ahn segue no cargo. Park foi acusada de  ter permitido que uma amiga, Choi Soosil, usasse sua influência para enriquecer e afetar decisões políticas para em benefício próprio.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.