Hospital Albert Einstein bate recorde de internações por covid

Previsão é de aumento contínuo de casos nos próximos dias e semanas, em razão das festas de fim de ano; taxa de ocupação total do hospital é de 90%
Paciente com covid em UTI de hospital: Einstein bateu recorde de internações (PATRICT. FALLON / Colaborador/Getty Images for National Geographic Magazine)
Paciente com covid em UTI de hospital: Einstein bateu recorde de internações (PATRICT. FALLON / Colaborador/Getty Images for National Geographic Magazine)
Por Carla AranhaPublicado em 13/01/2021 14:56 | Última atualização em 13/01/2021 21:43Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Com 141 pacientes internados com o coronavírus, quase 30% mais do que durante todo o mês de dezembro, o Albert Einstein bateu nesta quarta-feira, dia 13, o recorde de hospitalizações pela covid desde o início da pandemia. O maior número de internações pelo coronavírus havia ocorrido em abril do ano passado, quando o Einstein registrou 138 pacientes com a covid. "Agora temos o pior quadro desde o pico da pandemia, em abril", diz Sidney Klajner, presidente do Eistein.

O pior: a situação vai se agravar, afirma Klajner. "Agora as pessoas que foram passar o final do ano fora da capital estão começando a voltar", diz. "Muitas participaram de festas e aglomerações e vão trazer o vírus para São Paulo, infectando aqueles que ficaram aqui se protegendo", avalia.

No final de dezembro, companhias aéreas e hotéis reportaram um aumento na procura. Na Gol, foi registrada uma alta de 33% na demanda em relação a novembro. No Ano-Novo, a taxa de ocupação dos hotéis em locais turísticos do estado de São Paulo ficou em 60%, o dobro da média do ano, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado de São Paulo (Abih-SP).

"Infelizmente, estamos prevendo a chegada de mais pacientes infectados pela covid nos próximos dias e semanas", diz Klajner. Hoje, a taxa de ocupação total do hospital é de 90%. "Temos expertise em adaptar nossa estrutura para disponibilizar mais leitos de UTI caso seja necessário", afirma.

A prefeitura de São Paulo prevê uma alta considerável no número de casos por volta do dia 20. “A situação já está bem grave e na próxima semana deveremos assistir a um aumento ainda maior de pacientes internados com a covid”, disse Edson Aparecido, secretário municipal de Saúde de São Paulo, em entrevista à EXAME.