Governo quer democratizar ainda mais acesso a crédito

Uma das iniciativas anunciadas por representante do Ministério da Fazenda é fundo de aval para beneficiários do programa Bolsa Família

Brasília - Oferecer crédito com taxas reduzidas aliado à assistência técnica. Esse é o diferencial do Programa Nacional de Microcrédito Crescer, segundo o secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Gilson Bitencourt. Ele anunciou durante o Fórum Sebrae de Conhecimento, nesta manhã (17), em Brasília, que o governo pretende criar um fundo de aval para facilitar ainda mais o acesso do público do Bolsa Família aos recursos do Crescer.

Gilson Bitencourt explica que o programa tem uma vantagem em relação à modalidade tradicional de empréstimos, pois ele é um “crédito com assistência técnica”, ou seja, as instituições financeiras vão ter relacionamento direto com os 3,4 bilhões de brasileiros que o governo estima como tomadores de crédito até o fim de 2013. "O governo prestende fazer posteriormente o cruzamento de dados, para saber quem são e onde estão o público do Programa", informou Bitencourt.

Segundo ele, o acompanhamento das instituições se dará durante toda a vigência do contrato do crédito. “O governo vai acompanhar de perto se os bancos estão seguindo as orientações do Programa”, afirmou. O secretário informou que o valor da carteira do programa é de R$ 4,3 bilhões até 2013. “Inicialmente o Crescer seria trabalhado apenas pelos bancos públicos, mas já existe a participação de bancos privados e agências de fomento”, adiantou.

A fonte de recursos para a operacionalização do Crescer é de 2% (R$ 157 bilhões) do total dos depósitos à vista, que correspondem a R$ 3,15 bilhões. A taxa de juros é de 8% ao ano. Outra novidade é a Taxa de Abertura de Crédito (TAC) que também caiu, passando de 3% para 1% sobre o valor financiado.

De acordo com Gilson Bitencourt, o atendimento ao público já iniciou, tanto pelo bancos quanto por instituições como o Sebrae. Ele se referiu às ações que a instituição desenvolve no âmbito do Plano Brasil sem Miséria. Entre elas, está a divulgação das linhas de crédito disponíveis pelos bancos, por meio do Crescer. Em muitos casos, o primeiro contato dos tomadores de crédito se dará por meio do programa do Sebrae Negócio a Negócio, que irá repassar a demanda aos Agentes de Crédito para que façam o atendimento especializado.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também