Governo negocia redução da vazão da barragem de Sobradinho

O que está sendo feito para garantir abastecimento de água são tratativas com a ANA, que permitam operarmos com 800 m³ por segundo

Brasília - O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Luiz Eduardo Barata, disse nesta sexta-feira, 6, que as autoridades do setor elétrico estão em negociações com a Agência Nacional de Águas (ANA) para que a vazão da barragem de Sobradinho seja reduzida de 900 m³ por segundo para 800 m³ por segundo, com o objetivo de preservar o nível do reservatório para o abastecimento de água da região.

"A afluência do Rio São Francisco tem sido insuficiente e o nível do reservatório de Sobradinho preocupa. Não há problema para a geração de energia elétrica, mas para outros usos", afirmou Barata.

O que está sendo feito para garantir abastecimento de água - e não de energia - são tratativas com a ANA, que permitam operarmos não com mínimo de 900 m³ por segundo, mas de 800 m³ por segundo.

Em situação normal, a vazão mínima de Sobradinho é de 1.300 m³ por segundo e o MME já pediu que o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) analise a possibilidade deste volume cair para ínfimos 400 m³ por segundo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também