Governo de SP revisa quarentena. Fase vermelha deve continuar

Estado teve queda no número de internações na última semana, mas boa parte das regiões ainda está com a ocupação de leitos de UTI acima de 90%

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia. 

O governo de São Paulo revisa a quarentena em todo o estado nesta sexta-feira, 16. Os membros do Centro de Contingência da covid-19 se reúnem com o governador João Doria (PSDB) para apresentar os dados e decidir se a fase vermelha, que começou na segunda-feira, 12, e vai até domingo, 18, continua. Com os números da pandemia no momento, há uma tendência de que ela seja prorrogada por, pelo menos, uma semana.

De acordo com dados da Secretaria da Saúde do estado de São Paulo, na última semana foi registrada uma média diária de 16.453 novos casos confirmados, 5% a mais que na semana anterior. A média de mortes também aumentou - 13% - chegando a 808 registros a cada 24 horas.

Por outro lado, a média de novas internações caiu para 2.642 solicitações, uma queda de 17% se comparado com a semana anterior. A taxa de ocupação de leitos de UTI, que chegou a ficar acima de 95% por quase um mês, diminuiu gradativamente e ficou em 85% na quinta-feira, 15. Outro dado positivo é que nos últimos dias há mais altas que internações. Mesmo assim, o cenário ainda é de alerta.

Na última quarta-feira, 14, o governo de São Paulo sinalizou que poderia fazer algumas mudanças em regiões que conseguiram diminuir a taxa de internações. Mas boa parte do estado está com a ocupação de UTI acima de 90%. As regiões com menor valor são a Grande São Paulo, Piracicaba e a Baixada Santista - todas com 83%.

“A fase emergencial foi criada em um contexto para fazer a gestão da pandemia em todo o estado porque houve uma piora generalizada, com o advento da segunda onda. Nós vemos que agora temos essa heterogeneidade de regiões de volta e estamos acompanhando as informações”, disse a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, em entrevista coletiva na quarta-feira.

A fase vermelha proíbe a abertura de qualquer serviço considerado não essencial (veja a lista abaixo). As aulas podem ser presenciais, mas com capacidade de 35%. Também estão autorizados os jogos do Campeonato Paulista.

Shoppings, comércio de rua são autorizados apenas nos sistemas de drive-thru, delivery e retirada no local. As mesmas regras valem para restaurantes e bares. Padarias podem funcionar no mesmo modelo de supermercados. Parques e praias ficam fechados, assim como cultos religiosos, que permanecem proibidos. O teletrabalho é obrigatório para todas as atividades administrativas.

Regras da fase vermelha

  • Apenas atividades essenciais podem funcionar, como supermercados, açougues, padarias, feiras livres, farmácias, postos de gasolina, petshops. 
  • Comércio e shoppings: permitida a comercialização por meio da retirada no local, janela do carro (drive-thru) de 5h às 20h e entrega na casa do comprador (delivery) por 24h
  • Salões de beleza e academias precisam ficar fechados
  • Restaurantes e bares: é permitida a entrega (delivery) por 24h. A compra sem sair do carro (drive-thru) e a retirada no local valem das 5h às 20h. O consumo no local é proibido.
  • Padarias podem funcionar seguindo as regras de supermercado, proibido o consumo no local
  • Teletrabalho de serviços administrativos é obrigatório
  • Parques e praias ficam fechados
  • Venda de bebida alcoólica só é permitida entre 6h e 20h
  • Qualquer tipo de aglomeração é proibida
  • Toque de recolher das 20h às 5h
  • Igrejas e templos ficam fechados

Confira outros temas nesta edição da Desperta:

  1. Na Petrobras, semana termina com Silva e Luna eleito para a presidência
  2. Biden se reúne com primeiro-ministro japonês e deve ter China como assunto
  3. No radar: otimismo global, novo CEO da Petrobras e o que move os mercados

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.