Biden se reúne com primeiro-ministro japonês e deve ter China como assunto

Líderes devem discutir pandemia, aquecimento global e Coreia do Norte, mas as nuances das relações dos dois países com a China devem dominar a conversa

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia. 

As reuniões bilaterais entre líderes nacionais se tornaram raras durante a pandemia. E, quando acontecem, denotam a importância do encontro. Quando Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, se reunir nesta sexta-feira, 16, com Yoshihide Suga, primeiro ministro do Japão, haverá uma mensagem sendo passada.

O encontro dos dois é a primeira conversa presencial que Biden terá com outro chefe de estado desde que assumiu a Casa Branca em janeiro, e demonstra a importância que a Ásia e o Japão em especial têm na política internacional dos EUA.

Os mandatários devem discutir assuntos bastante contemporâneos, como a pandemia de covid-19, mudanças climáticas, a Coreia do Norte, e também a China, que já demonstrou publicamente descontentamento com o encontro dos líderes.

EUA e Japão compartilham sentimentos sobre alguns comportamentos recentes do país, como acusações de violações de direitos humanos da população Uigur na província de Xinjiang. É esperado que os dois atém emitam um comunicado em conjunto, expressando preocupação sobre o caso.

O uso de tecnologia para ganhar vantagens competitivas econômicas também é preocupação dos países, especialmente do Japão, que tem na China seu principal comprador de exportações, cerca de 22%.

Biden sinaliza desde a campanha que pretende trabalhar com aliados antigos dos EUA, de maneira multilateral, ao contrário da política externa do antecessor, Donald Trump. A diplomacia americana começa a ganhar novos ares.

Confira outros temas nesta edição da Desperta:

  1. Na Petrobras, semana termina com Silva e Luna eleito para a presidência
  2. Governo de SP revisa quarentena. Fase vermelha deve continuar
  3. No radar: otimismo global, novo CEO da Petrobras e o que move os mercados

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também