Brasil

Fundo Amazônia: EUA querem doar 'recursos vultosos', diz Alckmin

Alckmin afirmou que os Estados Unidos não exigiram contrapartida do Brasil para anunciar os recursos e destacou que os americanos entendem o compromisso do atual governo com a questão climática

Alckmin: vice-presidente se reuniu ontem com o enviado especial dos EUA para o clima, John Kerry, em Brasília (Anadolu Agency/Getty Images)

Alckmin: vice-presidente se reuniu ontem com o enviado especial dos EUA para o clima, John Kerry, em Brasília (Anadolu Agency/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 28 de fevereiro de 2023 às 06h24.

O vice-presidente Geraldo Alckmin afirmou nesta segunda-feira, 27, que os Estados Unidos não fixaram valor para doação ao Fundo Amazônia, mas se comprometeram a enviar "recursos vultosos" à iniciativa que visa a preservar e combater o desmatamento do bioma. Alckmin se reuniu ontem com o enviado especial dos EUA para o clima, John Kerry, em Brasília.

"O enviado John Kerry não definiu valor, mas colocou que vai se empenhar junto ao governo, ao Congresso americano e junto à iniciativa privada para termos recursos vultosos, não só no Fundo da Amazônia, mas como também em outras cooperações", disse o vice-presidente a jornalistas após o encontro ocorrido no Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores.

O presidente Lula esteve em Washington (EUA) neste mês e, após o encontro com o presidente Joe Biden, o governo americano anunciou a intenção de contribuir com o Fundo Amazônia. O valor, no entanto, ainda não foi divulgado.

Alckmin afirmou que os Estados Unidos não exigiram contrapartida do Brasil para anunciar os recursos e destacou que os americanos entendem o compromisso do atual governo com a questão climática. "O compromisso do Brasil já ficou claro na presença do presidente Lula no encontro com o presidente Joe Biden. O compromisso do Brasil de ser protagonista no combate às mudanças climáticas. É uma questão grave, e esse é o momento. Não podemos deixar passar esse momento", defendeu.

O Fundo Amazônia ficou parado entre 2019 e 2022, após países suspenderem os repasses por contrariedade com a política ambiental conduzida pelo ex-presidente Jair Bolsonaro. A iniciativa foi reativada em janeiro deste ano por determinação do presidente Lula.

Desde a retomada do Fundo, Noruega e Alemanha - principais doadores - anunciaram a liberação de recursos. A União Europeia também já informou que pretende fazer repasses.

Acompanhe tudo sobre:ClimaEstados Unidos (EUA)Fundo AmazôniaGeraldo AlckminMeio ambiente

Mais de Brasil

FGTS pode ser descontado do salário?

Quem tem direito ao FGTS?

Como tirar a carteira de trabalho pela primeira vez

Quais os direitos de quem tem o Cadastro Único?

Mais na Exame