Financial Times: estádio corintiano pode atrasar

Publicação inglesa diz que estádio escolhido para sediar a abertura da Copa de 2014 dificilmente ficará pronto no prazo estabelecido pela Fifa

Brasília - Um artigo publicado nesta terça-feira (31) pelo jornal britânico Financial Times critica a decisão da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de sediar a abertura da Copa do Mundo de 2014 no estádio do Corinthians - que ainda está no papel. O artigo afirma que "dificilmente o estádio ficará pronto até 2012", o prazo estabelecido pela Fifa para que o estádio esteja dentro das exigências da federação. 

Segundo o FT, o estádio corintiano foi escolhido pela CBF no lugar do Morumbi  (sede do São Paulo Futebol Clube) e aprovado pela Fifa sem que o presidente da confederação, Ricardo Teixeira, tenha sequer visto o projeto para a obra. "Esta é a forma como as coisas são feitas pela CBF", aponta o jornal. De acordo com o artigo, a decisão representa uma aposta de Teixeira, que, talvez não coincidentemente, é aliado do presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, e inimigo de Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo.

O artigo do Financial Times também levanta a questão do preço da obra que será realizada pela Odebrecht. "O novo estádio custaria R$ 350 milhões, um pouco mais da metade do que o São Paulo teria que gastar para reformar o Morumbi", diz o FT.

O jornal reclama ainda do número de assentos previstos no projeto do estádio (48 mil) que também está fora dos padrões da Fifa - que exige o mínimo 65 mil lugares para os torcedores. "Sanchez disse que o estádio do Corinthians pode ser melhorado para atender à demanda, mas o clube não financiará este aumento, que pode custar até 180 milhões de reais. Os governos municipal e estadual também disseram que não pagariam a diferença", levantou a publicação.

Mas, segundo o Financial Times, a principal questão é o tempo. "Especialistas em infraestrutura dizem que são necessários 30 meses para construir um estádio do início". Precisa-se ainda de mais tempo para fazer relatórios de impactos ambientais, consultar moradores da área e fazer as mudanças legais inevitáveis.

O jornal faz as contas: "isso significa que, mesmo que a construção começasse amanhã, o estádio não estaria pronto até o fim de 2012." O prazo foi dado pela Fifa para garantir que as condições estarão melhores do que as existentes. Para o FT, como quase tudo sobre a Copa de 2014, a comissão organizadora ainda tem mais perguntas do que respostas.

Matéria atualizada às 21h18: Por um erro de EXAME.com,  o texto anterior atribuiu ao Financial Times a caracterização do estádio do Corinthians como ultrapassado. Tal caracterização não foi feita pelo Financial Times, e EXAME.com lamenta o equívoco.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.