Fiat encerra 2010 com lucro 2% menor, a R$ 1,6 bilhão

O valor representa uma redução de 2% em relação ao ano anterior

São Paulo – A Fiat Automóveis S.A. encerrou 2010 com lucro líquido de R$ 1,617 bilhão, o que representa uma redução de 2% em relação ao ano anterior, segundo informações do balanço financeiro da empresa, publicado nesta sexta-feira, 4, no Diário Oficial do governo de Minas Gerais. Antes do imposto de renda e da contribuição social, o resultado foi de R$ 2,251 bilhões, montante 3,4% menor que do exercício anterior. Segundo a empresa, a piora do resultado é consequência do aumento da competição no mercado doméstico, incluindo o crescimento de 19,4% na importação de automóveis comparado com 2009.

A receita operacional líquida da montadora somou R$ 20,668 bilhões no ano passado, com crescimento de 4,9% ante 2009. A receita liquida das exportações, por sua vez, somou US$ 1,223 bilhão em 2010, ante US$ 859 milhões em 2009. A empresa explica que o principal motivo para esse resultado foi a forte retomada do mercado de automóveis na America Latina, com um aumento de mercado de aproximadamente 25,2% em relação a 2009.

Mercado

A companhia destaca no balanço que encerrou 2010 na liderança do mercado de automóveis e comerciais leves, com uma participação de 22,8%. Ao longo de 2010 foram emplacados no País 760.495 unidades da marca italiana. A montadora lembra que em 2010 foram comercializados 3,3 milhões de unidades nesses dois segmentos, com alta de 10,6% sobre 2009.

A Fiat informa ainda que ao longo do último ano a companhia investiu R$ 1,192 bilhão em novos produtos, pesquisa e desenvolvimento tecnológico e expansão da capacidade produtiva. Ao final de 2010, a Fiat contava com 15.374 empregados, um aumento de 1.143 pessoas em relação a 2009 proveniente principalmente do crescimento de mercado.

Perspectivas

No balanço financeiro a companhia informa que as perspectivas para 2011 apontam para uma desaceleração no ritmo de crescimento do mercado automobilístico brasileiro, mantendo assim uma aderência com o comportamento da economia. “A expectativa para o ano em curso é de uma expansão das vendas internas de veículos, proporcional a variação do Produto Interno Bruto”, informa.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.