• AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

EXAME/IDEIA: Para 56%, mérito de aprovação de vacinas é dos cientistas

Apenas 8% atribuem ao governador de São Paulo, João Doria, a liberação para o uso emergencial dos imunizantes; 5% dão crédito ao ministro da Saúde, Eduardo Pazzuelo
Vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca/Oxford: o mérito é dos cientistas (Getty Images/Anthony Devlin)
Vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca/Oxford: o mérito é dos cientistas (Getty Images/Anthony Devlin)
Por Carla AranhaPublicado em 23/01/2021 08:30 | Última atualização em 23/01/2021 12:27Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Para 56% dos brasileiros, o mérito pela aprovação das vacinas contra a covid-19 cabe à comunidade científica. Dentro desse percentual da população, quase a metade reconhece o papel do Instituto Butantan e da Fiocruz na busca pelo imunizante no país, que têm parcerias de desenvolvimento, respectivamente, com a farmacêutica chinesa Sinovac e o consórcio Oxford/AstraZeneca.

Na corrida pela vacina no país, os políticos são os que menos levam o crédito: 8% atribuem a conquista do imunizante ao governador de São Paulo, João Doria; 5%, a Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, e apenas 1%, ao presidente Jair Bolsonaro. Já para 13% dos entrevistados, a liberação do uso emergencial das vacinas se deve a pressão da própria população.

Os dados constam de uma pesquisa exclusiva EXAME/IDEIA, projeto que une Exame Research, braço de análise de investimentos da EXAME, e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública.

Made with Flourish

O levantamento foi realizado com 1.200 pessoas, por telefone, em todas as regiões do país, entre os dias 18 e 21 de janeiro. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

"A comunidade científica esteve em evidência durante esse processo, de forma positiva", diz Maurício Moura, fundador do IDEIA. "Por outro lado, o governo federal, nas figuras do ministro da Saúde e do presidente, foi visto como coadjunte nessa questão."

No último dia 17, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu a permissão de uso emergencial das vacinas Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, e a AstraZeneca, da Fiocruz. Com isso, foi possível dar o ponta-pé inicial na campanha de imunização.

A valorização do papel da Ciência é maior no estrato da população com maior grau de escolaridade: entre os que cursaram o ensino superior, 42% apontam a comunidade científica como a principal responsável pela aprovação das vacinas.

Já o papel do Instituto Butantan e da Fiocruz como os principais responsáveis pela sucesso da operação é reconhecido em maior grau pela população de alta renda: 36% das pessoas com renda superior a cinco salários mínimos apoiam essa ideia.

 

Política X Vacinas

Na corrida política pela vacina contra covid-19, o governador do estado de São Paulo, João Doria, é quem melhor captura a atenção da população geral: 8%. Essa preferência é maior entre os que moram no Sudeste e Centro-Oeste, 10%, em comparação com 4% no Nordeste.

Entre os entrevistados com renda superior a cinco salários mínimos, 11% reconhecem  o mérito do governador paulista na oferta da primeira vacina disponibilizada no país, a Coronavac. Nesse estrato da população, 5% atribuem o papel de liderança ao ministro Pazuello e 2%, ao presidente Bolsonaro.

Quando a pesquisa EXAME/IDEIA relaciona os índices de aprovação e desaprovação ao governo com o tema da vacina, a disputa entre o presidente Bolsonaro e o governador Doria se repete. Entre os que avaliam o governo como ótimo ou bom, 8% atribuem o mérito ao presidente e 1% ao governador paulista.

Já entre os que avaliam a gestão Bolsonaro como ruim ou péssima, 12% reconhecem o papel de Doria no mérito da vacinação, ante 1% de Bolsonaro.

 

 

Veja Também

João Doria
Eleicoes
Há um dia • 3 min de leitura

João Doria