Brasil
Acompanhe:

Eurasia: Lula tem 70% de chances de vencer, apesar da melhora de Bolsonaro

O número é igual ao relatório publicado em fevereiro. As chances de Bolsonaro vencer saíram de 20% para 25%

Lula e Bolsonaro: tendência é de polarização nas eleições (Foto Lula: Bloomberg / Foto Bolsonaro: Evaristo Sa/Getty Images)

Lula e Bolsonaro: tendência é de polarização nas eleições (Foto Lula: Bloomberg / Foto Bolsonaro: Evaristo Sa/Getty Images)

G
Gilson Garrett Jr

19 de abril de 2022, 12h33

Para a Eurasia, uma das maiores consultorias de risco político do mundo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 70% de chances de vencer as eleições em outubro deste ano. O número é igual ao relatório publicado em fevereiro.

No começo do ano, as chances de o presidente Jair Bolsonaro (PL) se reeleger eram de 20% e, agora, são de 25%. Apesar disso, o petista mantém o favoritismo. O documento detalha modelos matemáticos e de previsão levando em consideração os cenários político e econômico.

“Essa recuperação nos índices de aprovação aumenta de 20% para 25% as chances de Bolsonaro vencer e diminui de 10% para 5% as chances de um candidato de terceiro partido; mas com Luiz Inácio Lula da Silva parecendo bem alinhado com as principais preocupações dos eleitores, suas chances de ganhar permanecem em 70%”, diz a Eurasia.

A consultoria ainda questiona até onde vai essa subida na aprovação do governo de Bolsonaro, com uma possível melhora da economia nos próximos meses. Outra questão, apontada pela Eurasia, é como os casos de corrupção durante os governos do PT serão explorados durante a campanha.

Aprovação de Bolsonaro subiu

Na pesquisa EXAME/IDEIA, publicada em março, a aprovação do governo do presidente Bolsonaro ultrapassou a barreira dos 30% e alcançou o maior número desde janeiro de 2021. Os brasileiros que concordam com a maneira como o presidente trabalha somam 32%. Os que desaprovam são 44%, o valor mais baixo no período de 12 meses.

Na série histórica, a avaliação positiva começou em 49%, logo após Bolsonaro receber a faixa presidencial, e depois ficou na casa dos 30%. No pior momento da pandemia, este número caiu para 20%, e voltou a se recuperar com a melhora nos índices de controle da covid-19.

A sondagem ouviu 1,5 mil pessoas entre os dias 18 e 23 de março. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-04244/2022. A pesquisa EXAME/IDEIA é um projeto que une EXAME e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. Confira o relatório completo aqui.

Bolsonaro ganha 2% em intenção de voto

Se o primeiro turno das eleições presidenciais fosse hoje, o ex-presidente Lula teria 40% dos votos, e o presidente Bolsonaro estaria em segundo lugar, com 29%. Ciro Gomes (PDT) e Sergio Moro (Podemos) teriam 9% cada um. Os números são da pergunta estimulada, com os nomes apresentados previamente, da mais recente pesquisa EXAME/IDEIA.

Em relação à última pesquisa, feita há dois meses, Lula perdeu 2 pontos percentuais e Bolsonaro ganhou a mesma quantidade. Ambas mudanças são dentro da margem de erro. Com isso, a diferença entre os dois caiu de 15% para 11%, o que pode mostrar uma tendência de acomodação de votos, como explica Maurício Moura, fundador do IDEIA.