• AALR3 R$ 20,30 0.79
  • AAPL34 R$ 67,29 -2.21
  • ABCB4 R$ 16,64 -0.72
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,09 0.61
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,15 -1.64
  • ALUP11 R$ 27,31 0.52
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,32 -2.73
  • AMER3 R$ 22,92 -4.78
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,34 -3.78
  • ARZZ3 R$ 79,61 0.13
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,72 -5.65
  • B3SA3 R$ 12,05 -0.41
  • BBAS3 R$ 37,76 -0.54
  • AALR3 R$ 20,30 0.79
  • AAPL34 R$ 67,29 -2.21
  • ABCB4 R$ 16,64 -0.72
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,09 0.61
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,15 -1.64
  • ALUP11 R$ 27,31 0.52
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,32 -2.73
  • AMER3 R$ 22,92 -4.78
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,34 -3.78
  • ARZZ3 R$ 79,61 0.13
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,72 -5.65
  • B3SA3 R$ 12,05 -0.41
  • BBAS3 R$ 37,76 -0.54
Abra sua conta no BTG

Haddad diz que espera 'subir no palanque' com Alckmin em São Paulo

Haddad reconheceu que o melhor cenário para os partidos de esquerda em São Paulo seria uma chapa única, mas citou as dificuldades na negociação entre o PT e o PSB
Eleições: Fernando Haddad é candidato ao governo de São Paulo (Bloomberg/Patricia Monteiro/Bloomberg)
Eleições: Fernando Haddad é candidato ao governo de São Paulo (Bloomberg/Patricia Monteiro/Bloomberg)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 10/05/2022 06:11 | Última atualização em 10/05/2022 08:59Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O ex-ministro e ex-prefeito Fernando Haddad (PT) afirmou nesta segunda-feira, 9, que espera "subir no palanque" de cidades paulistas com o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB), pré-candidato a vice-presidente na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva ao Planalto. "Eu acho que teremos um representante da chapa nacional Lula-Alckmin, no segundo turno, e espero que seja eu."

Em evento do SindHosp (Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo), Haddad reconheceu que o melhor cenário para os partidos de esquerda em São Paulo seria uma chapa única, a exemplo de Lula e Alckmin, mas citou as dificuldades na negociação entre o PT e o PSB, que mantém o também ex-governador Márcio França como pré-candidato ao governo.

Eleições: candidatos estaduais 'isentões' se afastam de Lula e Bolsonaro

Ciro fora das eleições? Lula entra em ação para fazer aliança com PDT

"A gente está discutindo isso. E é natural que os partidos queiram ter candidato próprio em São Paulo, porque estamos falando de 22% do eleitorado nacional", afirmou. "Qualquer que seja o desfecho, vamos fazer uma campanha de respeito. Sabemos o que está em risco no País", disse, em meio a críticas ao governo do presidente Jair Bolsonaro (PL).

"Eu acho que temos que fazer um esforço pelo simbolismo que essa unidade teria, tanto quanto a aliança do Alckmin com o Lula", disse o petista, citando a alta rejeição aos governos de Bolsonaro e de João Doria (PSDB) em pesquisas no Estado.

Apesar de poupar Alckmin, que foi governador do Estado pelo PSDB Haddad fez várias críticas à gestão Doria e defendeu a necessidade de alternância no comando do Palácio dos Bandeirantes. "O Doria poderia ter liderado uma ação conjunta mais coletiva e menos personalista, ter se aproximado do consórcio (de governadores) do Nordeste, ter feito gestões junto aos governadores do Sudeste", afirmou, sobre a atuação de João Doria na pandemia de covid-19.

Na área da saúde, Haddad respondeu aos dirigentes hospitalares citando ações que liderou à frente da Prefeitura de São Paulo e disse ser possível ampliá-las em nível estadual para reduzir a fila de espera de pacientes do SUS. Ele recebeu do sindicato um plano com propostas para a saúde, que também deve ser entregue a outros pré-candidatos ao governo.

Reeleição de Garcia vira prioridade no PSDB enquanto Doria patina

Eleições 2022: disputa será decidida por 10% do eleitorado

Moro está mais longe da Presidência e "avalia" concorrer ao Congresso