Doria anuncia treino para a PM após denúncias de violência policial

Programa chamado "Retreinar" foi anunciado no mesmo dia em que um homem desmaiou após ser estrangulado durante abordagem da PM em Carapicuíba

Em meio ao recorde de letalidade e denúncias de violência policial, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta segunda, 22, que a cúpula da Polícia Militar terá de passar por novo treinamento a partir de julho. Segundo ele, o programa vai se chamar Retreinar e, inicialmente, mira as altas patentes da corporação – só chegando depois aos PMs que estão na ponta e fazem atendimento nas ruas.

A orientação foi dada diretamente ao secretário da Segurança Pública, o general João Camilo Pires de Campos, que se recupera em casa da covid-19. “Serão coronéis, tenentes-coronéis, majores capitães, tenentes, sargentos, iniciando no comando do Quartel-General, que fica no bairro da Luz, no centro”, afirmou o governador.

“O ‘retreinamento’ de todo o comando das nossas tropas é para evitar em 1% de maus policiais, que insistem em utilizar violência desnecessária, para que se possa compreender que isso não é aceitável”, disse. O governo diz esperar que o treinamento chegue a sargentos, cabos e soldados em 20 dias.

Ainda segundo Doria, agentes envolvidos em casos de violência serão “punidos e afastados em definitivo da corporação”. Desde o início de 2019, ao menos 220 policiais envolvidos em falhas graves ou crimes já foram demitidos ou expulsos das forças de segurança paulistas, conforme o governo.

Jovem desmaia ao ser asfixiado por policial

Um jovem desmaiou após ser estrangulado durante abordagem da Polícia Militar em Carapicuíba, na Grande São Paulo. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), os agentes envolvidos na ocorrência foram afastados.

Dois vídeos que denunciaram a ação violenta foram feitos por moradores e circularam em redes sociais anteontem. Nas imagens, os PMs abordam dois rapazes: um fica parado perto de um portão enquanto o outro é imobilizado por um agente.

No primeiro vídeo, o jovem – de camisa listrada, bermuda branca e chinelo – está caído na rua, próximo da guia da calçada, enquanto o PM pressiona o joelho contra o seu peito. “O moleque está tendo convulsão, olha lá”, diz a pessoa que grava a cena. No segundo vídeo, o mesmo rapaz está de pé, sofrendo o mata-leão. O PM só desfaz a imobilização após o jovem desmaiar. “Aqui é a polícia, meu. Tá achando que aqui é brincadeira?”

Segundo o secretário executivo da PM, coronel Álvaro Camilo, os agentes foram afastados das ruas. “Estamos avaliando as imagens para ver se foram usadas técnicas de defesa pessoal”, disse. “Os policiais estão afastados até para que a gente possa avaliar.” Uma sindicância foi aberta. Em nota, a PM disse que a dupla em uma moto foi abordada após desrespeitar a ordem de parada e colidir contra a viatura. O condutor “entrou em luta corporal com o PM”, tentou fugir, “e foi imobilizado com técnicas de defesa pessoal”. Depois, foi socorrido no pronto-socorro e levado à Polícia Civil.

Letalidade

O total de mortos em supostos confrontos com a PM atingiu recorde em abril, dado mais recente, durante a quarentena. A alta foi de 56%, ante abril de 2019. Na semana passada, um policial foi preso por suspeita de matar um jovem de 15 anos na zona sul de São Paulo.

Neste mês, porém, a produtividade caiu: as polícias prenderam menos, tiraram menos armas ilegais das ruas e registraram queda de ações contra o tráfico em abril. A gestão João Doria (PSDB) anunciou ontem treinamento para a cúpula da PM, para coibir abusos (mais informações nesta página). “Esses abusos se tornaram padrões de policiamento em bairros periféricos contra pobres”, diz o advogado Ariel de Castro Alves, do Conselho Estadual de Direitos Humanos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.