Conselho de Ética arquiva processo contra líder do PSOL

Ivan Valente era acusado de calúnia, injúria e difamação por dizer que parlamentares receberam dinheiro público para salvar mandato de Temer

Brasília - O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados aprovou na tarde desta terça-feira, 24, o relatório do deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS) e arquivou o processo por quebra de decoro parlamentar contra o líder do PSOL, Ivan Valente (SP). Dez parlamentares votaram contra a continuidade da representação do PR.

Valente era acusado de calúnia, injúria e difamação por ter feito um discurso no plenário onde insinuou que parlamentares receberam dinheiro público para salvar o mandato de Temer duas vezes.

Na sessão de hoje, os conselheiros também conheceram o voto do deputado Júlio Delgado (PSB-MG), relator do caso Jean Wyllys (PSOL-RJ), mas um pedido de vista impediu a votação do parecer que pede o arquivamento da representação.

Wyllys é acusado pelo PR de apologia ao uso de drogas e "perversão sexual" por ter declarado em entrevista que se o mundo acabasse, aproveitaria para consumir todas as drogas ilícitas e fazer sexo com todos que desejasse.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.