Brasil
Acompanhe:

Cidade do Rio terá gratuidade em ônibus e BRT no segundo turno

A ideia é facilitar o trânsito de eleitores e permitir que a população carioca possa participar do segundo turno

Isenção vai vigorar das 6h às 20h (Prefeitura do Rio/Divulgação)

Isenção vai vigorar das 6h às 20h (Prefeitura do Rio/Divulgação)

A
Agência Brasil

Publicado em 25 de outubro de 2022, 08h58.

Passageiros terão gratuidade nos ônibus e o sistema de BRT da cidade do Rio de Janeiro no próximo domingo (30), segundo turno da eleição presidencial. A isenção da cobrança de passagens funcionará das 6h às 20h.

A ideia é facilitar o trânsito de eleitores e permitir que a população carioca possa participar do segundo turno, cuja votação está prevista para o período das 8h às 17h (no horário de Brasília, que é o mesmo horário local). No domingo, os cariocas só votarão para presidente, já que a eleição para governador do estado foi decidida no primeiro turno.

A medida está prevista no Decreto Municipal 51.435, de 29 de setembro de 2022, que também garantiu gratuidade no sistema de transporte público municipal no primeiro turno da eleição, em 1º de outubro.

São Paulo e Belo Horizonte terão passe livre de ônibus no 2º turno

As prefeituras de São Paulo e de Belo Horizonte anunciaram nesta segunda, 24, que vão ter passe livre no transporte público no segundo turno da eleição, no próximo domingo, 30. Além delas, outras capitais do País como Rio de Janeiro, Campo Grande, Florianópolis, Fortaleza, Maceió, Palmas e Porto Alegre já informaram que vão liberar as catracas.

Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou uma decisão liminar do ministro Luís Roberto Barroso que autoriza prefeitos a oferecer gratuidade no transporte público sem correr o risco de serem processados. A medida atendeu a um pedido feito pela Rede Sustentabilidade, que classificou o transporte como uma garantia constitucional do direito de voto.

Na capital paulista, que tem 9,3 milhões de eleitores, ou 26,8% de todo o Estado, o transporte público será de graça das 6h às 20h, segundo a Prefeitura. Conforme a administração municipal, a frota terá reforço de 2 mil ônibus.

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), a princípio, disse que não iria liberar as catracas, como já havia ocorrido no primeiro turno, mas decidiu recuar ontem e conceder o benefício. Nunes já declarou apoio ao ex-ministro Tarcísio de Freitas (Republicanos) no segundo turno, mas não ao presidente Jair Bolsonaro (PL), padrinho político de Tarcísio.

No primeiro turno da eleição ao Palácio do Planalto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teve 47,54% dos votos (3.276.512) na capital paulista ante 37,99% (2.618.593) de Bolsonaro. Para o governo do Estado, Haddad recebeu 44,38% (2.804.984 dos votos) ante 32,56% (2.057.965 votos) de Tarcísio.

Minas

Em Belo Horizonte, com 2 milhões de eleitores ou 12,3% do total de todo o Estado, o prefeito Fuad Noman (PSD) também anunciou a medida ontem. A iniciativa de Fuad, apoiador da candidatura de Lula, veio depois de o petista afirmar durante comício na capital mineira, no sábado, esperar que os todos os prefeitos acatassem a recomendação do Supremo. Fuad estava ao lado de Lula no palanque.

A prefeitura de Belo Horizonte tinha informado, antes do pedido de Lula, que não haveria gratuidade nos ônibus da capital mineira no dia da eleição. Fuad sucedeu ao candidato da coligação que apoiou Lula em Minas Gerais no primeiro turno, o ex-prefeito Alexandre Kalil (PSD), que foi derrotado pelo governador Romeu Zema (Novo), reeleito em primeiro turno.

Embora tenha vencido Bolsonaro no Estado, por 48,43% a 43,20% dos votos válidos, porcentual próximo ao resultado nacional, Lula perdeu em Belo Horizonte por 46,60% a 42,53% dos votos válidos.

"Votar é direito de todos. E é dever do Estado promover esforços para que esse direito seja garantido. Segundo decisão do STF, a prefeitura de Belo Horizonte vai disponibilizar serviço municipal de transporte público coletivo de ônibus de maneira gratuita no domingo (30). Bom voto a todos!", publicou o prefeito no Twitter, ontem.