Boulos diz esperar apoio do PT, PCdoB e PDT caso vá para 2º turno

Boulos disse que o principal legado de sua campanha é o exemplo de que é possível fazer política com pouco dinheiro e sem o uso da máquina pública

O candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, encerrou a campanha com uma carreata pela região do centro expandido da cidade. Ao final, Boulos disse que o principal legado de sua campanha é o exemplo de que é possível fazer política com pouco dinheiro e sem o uso da máquina pública.

"Fizemos uma campanha bonita, sem estrutura, sem máquina, com pouquíssimo tempo na TV e mesmo assim estamos em segundo lugar. Isso mostra que ainda é possível fazer política de outro jeito. Esse foi o maior legado da nossa campanha. Ela mostrou que ainda é possível fazer política com esperança e com engajamento de gente de verdade, que a verdade possa vencer as fake news", disse o candidato.

A campanha de Boulos recebeu R$ 3,9 milhões até agora, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A do prefeito Bruno Covas (PSDB), candidato à reeleição, recebeu R$ 15,3 milhões.

Indagado se o exemplo serve para outros partidos de esquerda que nas últimas décadas priorizaram o dinheiro e o marketing em detrimento da militância, Boulos, que espera o apoio de PT, PCdoB e PDT caso vá para o segundo turno, evitou responder.

"Prefiro fazer um balanço da campanha depois do dia 30 de novembro (data do segundo turno), esquivou-se.

A carreata saiu da Largo da Batata, em Pinheiros, bairro onde morou com os pais até a adolescência, e foi até a Praça Oswaldo Cruz, no Paraíso. Dezenas de veículos com bandeiras e adesivos do PSOL acompanharam o carro de som de onde Boulos acenava para a população.

Quando passava pela Avenida Paulista, na altura do Parque Trianon, um grupo de manifestantes do MBL que fazia campanha para o candidato Arthur do Val (Patriota) hostilizou os apoiadores de Boulos com palavrões mas foi contido pela Polícia Militar. Não houve briga.

Boulos também demonstrou preocupação com a possibilidade de alta abstenção nas urnas. "Tenho visto até um certo estímulo de alguns setores à abstenção, o que me parece preocupante. A democracia é uma conquista do povo", afirmou.

À noite, o candidato fará um pronunciamento via redes sociais ao lado da candidata a vice, Luiza Erundina.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.