• AALR3 R$ 20,30 1.20
  • AAPL34 R$ 67,94 -2.80
  • ABCB4 R$ 17,41 4.82
  • ABEV3 R$ 14,14 -0.56
  • AERI3 R$ 3,74 -1.06
  • AESB3 R$ 10,73 0.47
  • AGRO3 R$ 31,00 1.24
  • ALPA4 R$ 20,88 -0.29
  • ALSO3 R$ 19,28 -0.36
  • ALUP11 R$ 26,68 1.06
  • AMAR3 R$ 2,44 3.83
  • AMBP3 R$ 30,59 -1.92
  • AMER3 R$ 23,29 1.48
  • AMZO34 R$ 67,79 0.16
  • ANIM3 R$ 5,52 -0.36
  • ARZZ3 R$ 80,79 -1.30
  • ASAI3 R$ 15,42 0.13
  • AZUL4 R$ 21,40 0.80
  • B3SA3 R$ 11,77 1.90
  • BBAS3 R$ 35,71 -0.56
  • AALR3 R$ 20,30 1.20
  • AAPL34 R$ 67,94 -2.80
  • ABCB4 R$ 17,41 4.82
  • ABEV3 R$ 14,14 -0.56
  • AERI3 R$ 3,74 -1.06
  • AESB3 R$ 10,73 0.47
  • AGRO3 R$ 31,00 1.24
  • ALPA4 R$ 20,88 -0.29
  • ALSO3 R$ 19,28 -0.36
  • ALUP11 R$ 26,68 1.06
  • AMAR3 R$ 2,44 3.83
  • AMBP3 R$ 30,59 -1.92
  • AMER3 R$ 23,29 1.48
  • AMZO34 R$ 67,79 0.16
  • ANIM3 R$ 5,52 -0.36
  • ARZZ3 R$ 80,79 -1.30
  • ASAI3 R$ 15,42 0.13
  • AZUL4 R$ 21,40 0.80
  • B3SA3 R$ 11,77 1.90
  • BBAS3 R$ 35,71 -0.56
Abra sua conta no BTG

Bolsonaro cancela assinaturas da Folha e ameaça anunciantes

Atitude remete à medida tomada na semana passada por Trump, que cancelou as assinaturas dos jornais The New York Times e The Washington Post
Bolsonaro: presidente disse que determinou o cancelamento de assinaturas do jornal Folha de S.Paulo em órgãos do governo federal em Brasília (Flickr/Marcos Corrêa/PR)
Bolsonaro: presidente disse que determinou o cancelamento de assinaturas do jornal Folha de S.Paulo em órgãos do governo federal em Brasília (Flickr/Marcos Corrêa/PR)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 01/11/2019 08:52 | Última atualização em 01/11/2019 08:53Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira, 31, que determinou o cancelamento de assinaturas do jornal Folha de S.Paulo em órgãos do governo federal em Brasília. A declaração ocorreu durante uma entrevista por telefone ao programa Brasil Urgente, do apresentador José Luiz Datena na TV Bandeirantes, em que o presidente atacou a cobertura jornalística de seu governo.

"Nenhum órgão aqui do meu governo vai receber o jornal Folha de S.Paulo, aqui em Brasília. Está determinado", declarou Bolsonaro. "Espero que não me acusem de censura. Quem quiser comprar a Folha de S.Paulo, ninguém vai ser punido por isso, manda o assessor dele, vai lá na banca e compra a Folha de S.Paulo, e se divirta." Presidente também disse que os anunciantes do jornal "devem prestar atenção".

A atitude remete a medida semelhante tomada na semana passada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Na quinta-feira, 24, a Casa Branca passou a instruir órgãos federais a cancelar as assinaturas dos jornais The New York Times e The Washington Post.

Trump tem feito ataques constantes a notícias publicadas nesses veículos e já chegou a afirmar, em outubro do ano passado, que a mídia é "a verdadeira inimiga do povo". Ele disse, na ocasião, que parte da imprensa publica informações "imprecisas, e até fraudulentas".

Após a declaração de Bolsonaro, o presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Marcelo Rech, lamentou a atitude. "A ANJ lamenta que, assim como agiu o presidente Donald Trump há poucos dias, o presidente Jair Bolsonaro escolha caminho idêntico, o que significará menos pluralidade e informação profissional para o serviço federal", disse Rech, por meio de nota. "Mesmo que as assinaturas para governos representem uma receita ínfima para jornais, a livre circulação de notícias e ideias ajuda a construir políticas públicas, a corrigir rumos e aperfeiçoar caminhos na administração pública".

Em nota, o jornal afirmou que "lamenta mais uma atitude abertamente discriminatória do presidente da República contra o jornal e vai continuar fazendo, em relação ao seu governo, o jornalismo crítico e apartidário que a caracteriza e que praticou em relação a todos os outros governos".