Bancários fazem protesto contra assédio na Caixa

O protesto é contra as denúncias de assédio moral e sexual contra ex-dirigentes da Caixa
Atos devem ocorrer na capital paulista (Cris Faga/Getty Images)
Atos devem ocorrer na capital paulista (Cris Faga/Getty Images)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 05/07/2022 às 11:51.

Última atualização em 05/07/2022 às 12:05.

Bancários devem fazer nesta terça-feira, 5, um ato de protesto contra o assédio na Caixa Econômica Federal (CEF) em frente a uma agência do banco público na Avenida Faria Lima, na capital paulista, de acordo com o Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região. Os atos também devem ocorrer em outras regiões do País, segundo a entidade.

O protesto é contra as denúncias de assédio moral e sexual contra ex-dirigentes da Caixa. O ex-presidente do banco, Pedro Guimarães, deixou o cargo em meio às denúncias. O executivo e sua defesa alegam que as acusações não são verdadeiras.

Assine a EXAME por menos de R$ 0,37/dia e acesse as notícias mais importantes do Brasil em tempo real.

Em nota, Ivone Santana, presidente do sindicato, disse que a entidade vinha alertando sobre casos de assédio na instituição. "Vamos reivindicar, nesta quarta, a inclusão de uma cláusula contra assédio sexual na nossa Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), além de uma apuração rigorosa do que aconteceu na Caixa, queremos evitar que outros casos se repitam nos bancos", disse ela.

A nova presidente da CEF, Daniella Marques, toma posse oficialmente nesta terça, em Brasília. Ela tem prometido investigação rigorosa aos casos denunciados e, se necessário, punições por parte do banco.

Na quarta, 6, o Sindicato paulista deve fazer uma terceira rodada de negociação com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para tratar do tema igualdade de oportunidades.

Veja também:

Garcia sobre cracolândia: 'Polícia para traficante e tratamento para dependente'

Pacheco diz a senadores que irá abrir CPI do MEC