Atraso da Linha 4 levou a romper contrato, diz Alckmin

A obra terá de passar por nova licitação para ser retomada, e ainda não há um novo prazo para conclusão da linha

Brasília - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta quinta-feira, 30, que, diante dos atrasos da obras das quatro estações finais da Linha 4-Amarela do Metrô, o governo estadual foi obrigado a romper o contrato com as empreiteiras responsáveis pela construção.

"Lamentavelmente, o consórcio não conseguiu fazer as obras, e não há como esperar mais. Então estamos fazendo a rescisão contratual. O consórcio será duramente penalizado e a obra será relicitada", afirmou o governador paulista, que está em Brasília para participar de uma reunião com a presidente Dilma Rousseff.

Alckmin disse acreditar que, apesar da medida, não haverá um novo atraso na conclusão das obras, que começaram em 2004. Ele afirmou que há outras empresas que podem fazer o serviço, sem apresentar mais detalhes.

A decisão de romper os contratos foi divulgada na manhã desta quinta, 30, em consenso com o Banco Interamericano de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), que financiava a empreitada.

A obra terá de passar por nova licitação para ser retomada, e ainda não há um novo prazo para conclusão da linha.

Os trabalhos vêm se arrastado desde que o consórcio formado pelas empresas Isolux, Corsán e Corviam, apresentaram dificuldades financeiras para a execução dos projetos.

A obra chegou a ficar parada entre novembro do ano passado e fevereiro, período em que o governador Alckmin chegou a sugerir a paralisação dos serviços.

O BIRD, entretanto, optou por ampliar as linhas de financiamento paras as empresas e o Estado. Após a assinatura do aditivo, entretanto, os serviços teriam continuado a serem executados em ritmo aquém do previsto.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também